Destaque em 'Nos tempos do Imperador' com Lupita, a tradicional cocada inspira pelo Rio com receitas diferentes

·3 min de leitura

Desde que estreou, “Nos tempos do Imperador” tem nos levado a uma viagem ao passado. Ambientada em mais de 160 anos atrás, a novela mostra os hábitos e as histórias da época de Dom Pedro II (Selton Mello). De lá para cá, muitos dos nossos costumes mudaram, mas alguns continuam bem vivos, como apreciar certas comidas que seguem no nosso dia a dia. Uma delas é a tradicional e democrática cocada, comum principalmente na época das festas juninas, mas bem-vinda o ano todo. Na trama das seis, é nas mãos de Lupita (Roberta Rodrigues) que o doce ganha forma e vira protagonista.

A cocada está relacionada aos povos afro-brasileiros desde os tempos da colonização. Feita basicamente com coco ralado, açúcar e água, o quitute provavelmente foi inserido na culinária brasileira por meio dos escravos que vinham da África. Em “Nos tempos do Imperador”, Lupita vende o doce pelas ruas do Rio de Janeiro e apronta várias enquanto conquista seus clientes. A atriz conta que gosta muito de se aventurar na cozinha, mas que ainda não aprendeu a fazer o doce vendido por sua personagem.

— Eu aprendi a me virar na cozinha muito cedo, enquanto eu tomava conta do meu irmão. Por isso, sei fazer desde comidinhas caseiras mais simples até pratos mais sofisticados. Gosto de criar, inventar, embora na maioria das vezes eu ache que peco um pouco no sal (risos). Mas confesso que a cocada eu ainda não aprendi a fazer, o que é uma pena, porque é um doce de que eu gosto muito — afirma a atriz.

Para quem não sabe fazer a iguaria, assim como Roberta, ou prefere provar versões mais diferentes, na lista ao lado separamos receitas dos mais variados tipos. Tem cocada até na bebida!

Na bebida

Para quem quer provar uma versão diferente do doce típico brasileiro, a bebida Oncotô do Empório e Cafeteria Cheirin Bão do WestShopping é gelada e à base de cocada cremosa . Com cachaça, sai por R$ 22,90. Sem álcool, por R$ 19,90. Endereço: Estrada do Mendanha 555, Campo Grande — 3514-1040.

Boa, bonita e barata

Os doces da Cocada da Cris, na Baixada Fluminense, são de dar água na boca. Por lá, a de leite condensado fica uma por R$ 3, duas por R$ 5. E aceita encomendas. Endereço: Rua Joatinga 159, Areia Branca, Belford Roxo — 99697-0633.

Tradicional com algo mais

A Barraca da Chiquita em Vista Alegre oferece a cocada cremosa preparada com leite condensado, coco e um toque de cachaça por R$ 11,50. Endereço: Av. Braz de Pina 2.700, Vista Alegre — (21) 2147-7174

Com castanha de caju

O Encontro Nordestino do Shopping Jardim Guadalupe tem uma cocada cremosa com paleta de coco, castanha de caju e leite condensado por cima pelo valor de R$ 15,90. Endereço: Av. Brasil 22.155 — 3512-9101.

Paixão à primeira vista

Inspirada na cocada tradicional, a Louzieh Doces desenvolveu uma receita de dar água na boca. A Flor de Coco (R$ 7 a unidade) foi criada no formato de seu nome e é sucesso de venda na casa. Endereço: Rua Visconde de Pirajá 444, loja 119, Ipanema — 99494-8667 ou 3298-7213.

Tartalete

A Tortamania inaugurou recentemente uma loja em Ipanema e, no cardápio, um dos destaques é a tartelete de cocada mole (R$ 10,90). Endereço: R. Vinícius de Moraes 121, loja D — 3273-0333 ou 96758-0261

Na forma de bolo

Um dos quitutes do Café Paineiras do Shopping Fashion Mall é o delicioso bolo de cocada mole sem glúten (R$ 17 a fatia). Endereço: Estrada da Gávea 899, São Conrado — 2111-4427.

Direto do forno

A cocada do Coco Bambu é dourada ao forno e servida quente com uma bola de sorvete (R$ 27). O doce é vendido no NorteShopping (Endereço: Av. Dom Hélder Câmara 5.474, Cachambi — 99164-4766 ou 3553-3435) e em Botafogo (Endereço: Rua General Severiano 97 — 96640-1310 ou 2137-3336).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos