Detento é investigado por utilizar perfil falso para extorquir dinheiro de vítimas no Brasil e Exterior

O Globo
·2 minuto de leitura

RIO - Um detento, de 32 anos, foi indiciado por mais um crime após aplicar diversos golpes de dentro do presídio, no Amapá. Nesta quarta-feira, a Polícia Civil realizou buscas no pavilhão F3 do Instituto de Administração Penitenciária (Iapen) e apreendeu celulares, drogas, carregadores e uma faca.

Segundo a Delegada Luiza Maia, de dentro da cela ele usava um celular com acesso a internet, e a partir de um perfil falso se passava sempre por uma mulher, no intuito de atrair outros homens. Durante as conversas, por um aplicativo de mensagens instantâneas, o detento trocava fotos e vídeos íntimos com as vítimas. Na farsa, ele alegava ser menor de 18 anos e passava a exigir valores em dinheiro das vítimas para não divulgar as fotos ou enviar para as esposas.

Pelo menos, nove pessoas, todas do sexo masculino e de diferentes classes sociais foram identificadas. De acordo com a delegada, uma das vítimas chegou a enviar valores que somam R$ 5 mil e procurou a Delegacia para denunciar, pois continuou sofrendo ameaças.

O detento será indiciado pelo crime de extorsão. Há outros inquéritos policiais que investigam crimes partindo de detentos do Iapen. A Polícia informou ainda que estão sendo investigadas as participações de familiares e pessoas próximas aos detentos.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, entre os meses de fevereiro e março de 2021, o indiciado trocou mensagens com pelo menos 13 homens, sendo, 10 no Brasil e três no exterior.

"Um fato peculiar desse caso específico é que o indiciado tentou fazer vítimas em Macapá, em diversos Estados do Brasil e até mesmo em outros Países, como Portugal, Síria e Suriname", destacou o delegado Leonardo Alves sobre o caso.

O inquérito policial foi remetido ao Ministério Público para eventual oferecimento de denúncia e o indiciado continua preso no Iapen.