Detidos suspeitos de assassinato de menina de 7 anos

Milhares de pessoas participam do funeral de uma menina de sete anos assassinada em Xochimilco, Cidade do México, em 18 de fevereiro de 2020

Os suspeitos do sequestro e assassinato de uma menina de sete anos na semana passada na Cidade do México, um crime que chocou o país, foram presos, informou nesta quarta-feira a prefeita Claudia Sheinbaum.

"Os supostos autores do feminicídio da criança ... foram presos em uma cidade do Estado do México", informou Sheinbaum no Twitter, sem dar mais detalhes.

A promotoria divulgou as fotos de Giovana "N" e Mario Alberto "N", o casal indicado como responsável pela o crime contra a criança encontrada morta no último fim de semana no sudeste da capital.

As identidades dos supostos culpados, contra os quais foi emitida uma ordem de prisão, foram reveladas horas depois da promotoria da Cidade do México ter realizado uma busca, na terça-feira à noite, em uma casa na cidade de Xochimilco, muito perto da casa onde a menina morava com a família.

"Na residência, eles coletaram pistas diferentes, como identificações, fotografias, roupas e outros itens pessoais que nos permitiram obter informações sobre duas pessoas relacionadas ao desaparecimento da criança", disse à imprensa Ulises Lara, porta-voz da entidade.

Segundo Lara, em caso de condenação, casal pode pegar uma pena de prisão entre 80 e 140 anos.

Nos últimos dias, crimes contra menores de idade abalaram o México.

No estado de Coahuila (norte) foi encontrado um bebê sem vida, enquanto as autoridades de Zihuatecuetla, em Puebla (centro), informaram o assassinato de uma adolescente de 14 anos dentro da própria casa.

O terceiro caso registrado é de uma menina de 17 anos que foi encontrada morta na região de Coyuca, no estado mexicano de Guerrero (sul).

O México registrou 1.006 vítimas de feminicídio em 2019, segundo dados oficiais, embora o número possa ser muito maior, pois há deficiências em processar e tipificar o crime, segundo especialistas.