'Deus salve o Rei': uma multidão ovaciona Charles III, proclamado rei

Uma multidão foi ao Palácio de Saint-James, em Londres, neste sábado(10), esperando ver Charles III na cerimônia de proclamação do novo rei.

"Temos a chance de ver o novo rei... Espero que ele venha por aqui. Prefiro vê-lo do que ouvir a proclamação!" explica Nicola Parmar, 49 anos.

Visivelmente emocionada, a mulher conta que inicialmente viajou de Yorkshire, onde mora, para ir ao teatro com a mãe, mas teve que mudar de planos quando foi anunciada a morte de Elizabeth II.

Um carro com vidros escurecidos se aproxima e a mulher tenta ver seus ocupantes, como milhares de outras pessoas verificam todas as chegadas ao local. "Nós adoraríamos vê-lo".

A saída inesperada na sexta-feira de Charles III para cumprimentar o público em frente ao Palácio de Buckingham animou Sarah e Gerard Berdien, de 53 e 54 anos.

Acima de tudo, eles esperam "estabilidade" do novo monarca. "A rainha sempre foi a rainha. Espero que (Charles III) não estrague. Ela não teve um único escândalo em 70 anos", diz Gerard.

- "Boa sorte" Charles III -

O Reino Unido enfrenta um alto custo de vida, também sofre com os efeitos da guerra na Ucrânia e tem ainda uma nova primeira-ministra.

Charles III se torna rei em "um momento muito difícil", admite Malcolm Tyndall, de 54 anos, diretor de uma organização beneficente em Londres.

Ainda assim, Tyndall foi lhe desejar "boa sorte", convencido de que será "diferente". "Ele não pode ser como a mãe, espero que seja diferente, mas da forma mais gentil possível".

Algumas pessoas foram até o evento "por curiosidade", como Leendert Van Denberg, um holandês de 52 anos.

"É um momento histórico. Ela foi rainha por 70 anos!" Depois acrescenta: "Há algo curioso: há uma semana ninguém levava Charles a sério (...) E agora estamos todos esperando por sua aparição!", diz.

- Proclamação -

De repente, centenas de telefones celulares são levantados pelos braços no ar. Algumas notas de trompete anunciam a iminência da leitura da proclamação do rei.

O silêncio total é imediatamente imposto e, com atenção, a multidão ouve o texto lido por apenas dois minutos.

Então, um grito: "Deus salve o Rei" imediatamente ecoou em uníssono pelos milhares de espectadores reunidos por uma hora.

Ao longe, tiros de canhão ressoam e todos cantam solenemente o hino nacional, pela primeira vez com "Deus salve o rei", e não a rainha, antes de aplaudir.

"Hip Hip Hooray!" alguns gritam.

mig/gmo/cpy/me/eg/jc