Dez anos após 'Black mirror', britânico Daniel Kaluuya vence o Oscar como herói negro americano

O Globo
·1 minuto de leitura

Aos 32 anos, Daniel Kaluuya venceu neste domingo seu primeiro Oscar, o de melhor ator coadjuvante, por "Judas e o Messias Negro". A estatueta chega uma década depois de um dos primeiros contatos entre Kaluuya e o grande público, através da série "Black mirror".

Ele protagonizou o segundo episódio da primeira e já clássica temporada da produção distópica, batizado de "Fifteen million merits". Na trama, as pessoas precisam pedalar constantemente para vencer créditos na vida. Bing, o personagem de Kaluuya, tenta ajudar Abi Khan (Jessica Brown Findlay) a entrar numa competição de canto.

Seis anos depois, Kaluuya faria outro grande papel, desta vez no cinema: ele protagoniza o terror psicológico "Corra!" (2017), de Jordan Peele. Em 2018, o ator esteve ainda em "Pantera Negra", da Marvel.

Em "Judas e o Messias Negro", o britânico de Londres Daniel Kaluuya interpreta um personagem histórico dos Estados Unidos: Fred Hampton, um dos líderes do partido dos Panteras Negras.

Além de superar a diferença de sotaque, Kaluuya ainda fez uma figura muito mais jovem que ele. Quando foi assassinado pela polícia de Chicago, em 1969, Fred Hampton tinha 21 anos, 11 a menos que o ator que o interpretou tem hoje.