Dez dias após anunciar infectologista Luana Araújo, Saúde diz que médica não ocupará cargo

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O Ministério da Saúde informou que a médica infectologista Luana Araújo, anunciada para o cargo de secretária extraordinária de Enfrentamento à Covid-19, não exercerá a função.

A pasta disse ainda que busca por outro nome com perfil profissional semelhante, que seja técnico e baseado em evidências científicas.

"A pasta agradece à profissional pelos serviços prestados e deseja sucesso na sua trajetória", disse em nota.

O Ministério da Saúde havia anunciado no dia 12 de maio o nome da médica infectologista como a nova titular de uma secretaria criada para enfrentamento da doença.

Segundo o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, a nova área deve concentrar as ações de controle da epidemia no país, como elaboração de protocolos e a campanha de vacinação.

Formada em medicina pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), Araújo tem residência em infectologia pela mesma instituição e é pós-graduada em epidemiologia pela Universidade John Hopkins.

Quando foi anunciada, em seu discurso prestou solidariedade a familiares de vítimas da Covid e disse que pretendia adotar ações com base em evidências científicas.

"Minha experiência hoje é trabalhar com preparo e resposta de sistemas de saúde ao redor do mundo em relação a pandemias, e isso foi o que me trouxe hoje para essa posição", afirmou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos