Dezenas de estudantes sequestrados são libertados no noroeste da Nigéria

·3 minuto de leitura
Grupos criminosos sequestram estudantes com frequência na região noroeste da Nigéria (AFP/Kola SULAIMON)

Grupos armados nigerianos libertaram dezenas de estudantes sequestrados este mês no estado de Zamfara, no noroeste do país, segundo uma fonte do governo local e um vídeo que mostra autoridades junto com os menores de idade.

A libertação dos estudantes da escola Kaya aconteceu depois que o Exército iniciou uma operação contra os grupos armados neste estado e de as autoridades locais terem bloqueado as telecomunicações em Zamfara para impedir o contato entre eles.

As tropas nigerianas foram atacadas por um grupo armado em Zamfara com um saldo de 12 membros das forças de segurança mortos, e em um estado do centro do país homens armados invadiram uma prisão e libertaram 240 presos.

Mais de 70 alunos e alguns professores foram levados como reféns em Kaya, em 1º de setembro, no mais recente de uma série de sequestros em massa em instituições de ensino cometidos por homens armados.

"No domingo à noite, foram libertados 75 reféns da escola pública de ensino médio de Kaya", disse uma fonte do governo local. "Pareciam em bom estado de saúde e ilesos", acrescentou.

Um vídeo divulgado pelo gabinete do governador de Zamfara, Bello Matawalle, mostra o momento em que saudou, durante a noite, ônibus cheios de estudantes, enquanto perguntava se estavam feridos.

Os grupos criminosos atuam há muito tempo nos estados do noroeste e do centro da Nigéria, invadindo e saqueando aldeias, roubando gado e sequestrando pessoas para pedir resgate.

Desde dezembro passado, eles tomaram as escolas como alvo. Mais de mil alunos foram feitos reféns este ano.

A maioria dos estudantes foi libertada após negociações, e alguns conseguiram fugir. Dezenas deles continuam, no entanto, em cativeiro.

- Ataque deixa mais de 10 mortos -

Durante as operações do exército em Zamfara, homens armados executaram um ataque no fim de semana e mataram 12 agentes das forças de segurança nigerianas em uma base militar no estado.

De acordo com fontes militares, os invasores desta base roubaram armas e incendiaram edifícios.

"Os agressores invadiram a base às 10h30 locais e enfrentaram as tropas em um tiroteio intenso", afirmou uma fonte local.

O ataque aconteceu na manhã de sábado (11) e terminou com as mortes de nove oficiais da Marinha, um soldado e dois policiais.

Situada no distrito de Dansadau, a 80 km da capital do estado, Gusau, a base de Mutumji é um local-chave do ponto de vista logístico para a luta do exército contra os criminosos da região.

Os extremistas do noroeste da Nigéria atacam com frequência bases militares no estado de Borno. Esta área é núcleo de uma insurgência iniciada há 12 anos e que já deixou mais de 40.000 mortos.

- 240 presos libertados -

Em um incidente separado, homens fortemente armados invadiram, no domingo à noite, uma prisão do estado de Kogi (centro) e soltaram 240 presos, informou um porta-voz das autoridades penitenciárias nesta segunda-feira.

"O centro de reclusão de segurança média de Kabba, no estado de Kogi, foi atacado por homens armados ainda não identificados e 240 presos foram libertados à força", disse o porta-voz do serviço penitenciário da Nigéria, Francis Enobore, em um comunicado.

Por volta das 19h45 (horário de Brasília) de domingo, vários homens armados "atacaram os guardas armados em um tiroteio feroz", disse o porta-voz.

Os invasores entraram na prisão, onde havia 294 presos no momento, incluindo 224 indivíduos detidos à espera de serem julgados.

As fugas em massa são comuns na Nigéria.

Em 5 de abril, homens armados atacaram o quartel general da polícia da cidade de Owerri (leste) e libertaram mais de 1.800 detidos.

abu/pma/mar-pc/mar/fp/tt/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos