Dezenas de feridos em confrontos entre policiais e xiitas no Líbano

Confrontos entre partidários dos movimentos xiitas Amal e Hezbollah com as forças de segurança no centro de Beirute na madrugada de 17 de dezembro de 2019

Dezenas de pessoas ficaram feridas na segunda-feira à noite em Beirute, em confrontos entre as forças de segurança e partidários de dois movimentos xiitas, informaram fontes dos serviços de proteção civil libaneses.

Dezenas de jovens partidários dos movimentos xiitas Hezbollah e Amal atacaram acampamentos de manifestantes contrários ao governo no centro da capital do Líbano, que estavam vazios durante a noite.

Jovens, a pé e em motos, enfrentaram as forças de segurança, atiraram pedras e bombas de fabricação caseira e incendiaram carros. A polícia respondeu com gás lacrimogêneo e os confrontos prosseguiram durante toda a noite.

A violência explodiu depois da divulgação nas redes sociais de um vídeo antigo que teve o conteúdo considerado "ofensivo e humilhante" pela comunidade xiita.

Os confrontos deixaram 23 feridos que foram hospitalizados e outros 43 que foram atendidos no próprio local, informou o serviço de proteção civil, sem explicar se eram agentes ou civis.

O Líbano é cenário há dois meses de um protesto inédito contra os governantes, acusados de incompetência e corrupção. Em 29 de outubro, após a pressão das ruas, o primeiro-ministro Saad Hariri renunciou ao cargo.

Até o momento, a mobilização contra a classe política aconteceu de maneira calma, mas nos últimos dias aconteceram confrontos que deixaram dezenas de feridos.

As negociações no Parlamento para definir um novo primeiro-ministro foram adiadas até quinta-feira. O diálogo político parece ainda mais complicado em um momento de tensão, agravado pela crise financeira.

Os manifestantes desejam um governo de tecnocratas e especialistas independentes dos partidos tradicionais.