DF investiga 3º possível caso de infecção da variante Ômicron no Brasil

·3 min de leitura
NEWARK, NEW JERSEY - NOVEMBER 30: Travelers arrive from international flights, including from South Africa, at Newark Liberty International Airport on November 30, 2021 in Newark, New Jersey. The United States, and a growing list of other countries, has restricted flights from southern African countries due to the detection of the COVID-19 Omicron variant last week in South Africa. Stocks in the travel and airline industry have fallen in recent days as fears grow over the spread and severity of the variant.   Spencer Platt/Getty Images/AFP / AFP / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / SPENCER PLATT
A Secretaria de Saúde do DF está monitorando um viajante procedente da África do Sul com Covid-19. Esse é o terceiro caso suspeito da variante Ômicron em território brasileiro. (Foto: / AFP / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / SPENCER PLATT

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal informou que está monitorando um viajante procedente da África do Sul com Covid-19 que desembarcou em Guarulhos no dia 27 de novembro e teve Brasília como destino final.

Esse é o terceiro caso suspeito da variante Ômicron em território brasileiro.

No domingo (28), um passageiro desembarcou em São Paulo e testou positivo para Covid. No dia seguinte, segunda-feira (29), outro caso suspeito da nova variante foi apontado pela Secretaria de Saúde de Minas Gerais.

Nenhum dos casos, no entanto, há a confirmação de que a infecção seja decorrente da variante.

Com a chegada do passageiro em Brasília, a organização local de saúde realizou teste para Sars-Cov-2, que teve resultado positivo. O comunicado foi feito na tarde desta terça-feira por meio do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde do Distrito Federal (Cievs-DF).

Segundo informações oficiais, o voo é o mesmo em que estava o outro caso confirmado de covid-19 identificado em São Paulo.

A Cievs-DF também esclareceu que o viajante realizou teste para Sars-Cov-2 um dia após pousar no Brasil. O exame foi feito pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Distrito Federal (Lacen-DF) e teve resultado positivo.

“O Lacen-DF já iniciou as análises para sequenciamento genético da amostra, com o objetivo de verificar se trata-se da variante Ômicron. O prazo para conclusão do exame é de quatro dias. O Cievs-DF permanece monitorando o caso”, declarou a Cievs-DF em nota oficial.

A nota também diz que o viajante é “um homem, da faixa etária entre 40 e 49 anos, que recebeu 3 doses de vacina. O caso permanece assintomático e o viajante está em isolamento domiciliar desde a chegada à capital”.

Além disso, esclarece que “até o momento não há caso confirmado de infecção por covid-19 com a variante Ômicron no Distrito Federal”.

CASO EM SÃO PAULO TEM BAIXA CARGA VIRAL

O passageiro brasileiro que passou pela África do Sul e testou positivo para Covid-19 no desembarque no Brasil estava com uma carga viral baixa, o que pode dificultar testes e impedir a verificação de qual variante ele carrega.

A amostra do passageiro, que está em quarentena, foi encaminhada para o Instituto Adolfo Lutz no último domingo (28). O resultado do sequenciamento deveria ser entregue na próxima quarta-feira (1).

O passageiro chegou ao Brasil no sábado (27). Ele havia feito um teste PCR 72 horas antes do embarque, que deu negativo. Ao desembarcar no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, um novo teste voltou positivo para coronavírus.

A variante Ômicron foi classificada como de “preocupação” pela Organização Mundial da Saúde (OMS). A entidade também afirmou que a cepa é um grande risco para o planeta.

"Dadas as mutações que poderiam conferir a capacidade de escapar de uma resposta imune, e dar-lhe uma vantagem em termos de transmissibilidade, a probabilidade de que a Ômicron se propague pelo mundo é elevada", disse a OMS. Até o momento, não há registro de morte associada à variante.

Nesta segunda-feira (29), o Brasil passou a ter restrições a voos provenientes da África do Sul, Botsuana, Essuatíni, Lesoto, Namíbia e Zimbábue, para evitar a entrada da variante Ômicron do coronavírus. A nova cepa foi identificada nestes países e foi classificada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma variante de preocupação.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos