Dia D? Ainda sem acordo, Botafogo pretende esperar mais por Zahavi

Quando chegou ao Botafogo, John Textor, acionista majoritário da SAF alvinegra, deixou claro o desejo de montar um time com jogadores que pudessem dar uma base de qualidade ao elenco, mas também atletas de peso vindos do exterior para, além de elevar o nível técnico, funcionar como grande nome de marketing para o exterior e para atrair os torcedores a comprar camisas, assinar o programa de sócio-torcedor etc. Um desses grandes nomes é o do israelense Eran Zahavi. Por ele, o clube está disposto a esperar e negociar com calma.

Janela: com reforços em baixa, Botafogo enfrenta dificuldades no meio campo e busca novos nomes

Na última quinta-feira, Textor publicou em suas redes sociais uma imagem junto de botafoguenses da torcida "Fogo Hebreu" e escreveu para o israelense: "caso você ainda esteja se perguntando o quanto sua família se sentirá amada no Rio, olhe nossas suítes VIP no Estádio Nilton Santos. Vamos Eran! Salta para dentro, a água esta quente no Botafogo". A postagem faz alusão ao país de Zahavi, Israel, diretamente ligado ao povo hebreu, e também a uma publicação do atacante nas redes sociais onde estava com o pé no mar.

Com o recado de Textor, torcedores chegaram a cogitar nas redes sociais que o acerto com o atacante já estava encaminhado. Até o momento, o Botafogo segue negociando com o jogador e com expectativa num final feliz, mesmo que ele não ocorra nesta sexta-feira.

Antes mesmo de terminar a temporada pelo PSV, da Holanda, Zahavi havia acenado positivamente para o projeto alvinegro. Com boa proposta financeira, alguns detalhes, como a situação familiar, precisam ser acertados.

Saiba mais: Mertens entra no radar do Botafogo

Em maio, um grupo de torcedores discutiram nas redes sociais sobre a contratação de Zahavi por conta de posicionamentos do jogador em relação ao conflito entre Israel e Palestina. O debate deixou alguns alvinegros receosos de que o jogador poderia não se transferir para o clube por conta disso. No entanto, internamente, a possibilidade é descartada.

Entenda: como conflito entre Israel e Palestina virou polêmica na torcida do Botafogo

Desde que teve seu nome noticiado na imprensa, ainda na primeira janela de transferências, Zahavi foi abraçado pelos botafoguenses nas redes sociais. Em entrevistas, John Textor e outros membros do futebol do Botafogo elogiaram o jogador e fizeram questão de afirmar que o atacante chegaria para somar bastante no time de Luís Castro. Mesmo assim, o israelense permaneceu no PSV, da Holanda, até o fim do seu contrato, que terminava junto da temporada europeia. Pelo clube holandês, marcou 20 gols e deu 11 assistências em 46 partidas. Os números finais fizeram a expectativa pelo atacante crescer ainda mais, mesmo com idade elevada, já que está prestes a completar 35 anos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos