Dia nacional do livro: conheça 5 obras lançadas no último ano com personagens LGBTQIA+

·6 min de leitura

RIO — Em meio à repercussão causada por uma HQ da DC Comics, que apresentou o filho de Clark Kent e Lois Lane como bissexual — com destaque para a reação homofóbica do jogador de volêi Maurício Souza e sua consequente demissão do Minas Tênis Clube — o Brasil celebra nesta sexta-feira, dia 29, o dia nacional do livro, com um mercado editorial dispondo de várias obras com personagens LGBTQIA+.

Confira abaixo 5 títulos que foram publicados em menos de um ano no país, enquanto a nova história em quadrinhos do Superman não chega, já que, nos EUA, a venda começará em 16 de novembro.

'Desventuras (quase) românticas de um festival'

"Desventuras (quase) românticas de um festival" é uma coletânea de quatro contos, cada um escrito por Babi Dewet, Érica Imenes, Lyu Guedes e Paloma Ortega, que foi lançada nesta sexta-feira, 29, coincidindo com o dia nacional do livro. A obra é editada pela Gutenberg e traz histórias independentes, mas que se complementam por serem ambientadas no mesmo cenário: o Kapopalooza, descrito como o maior festival de K-pop no mundo, que chega ao Brasil pela primeira vez.

— As quatro personagens não se conhecem, mas as histórias delas acontecem por conta desse festival, que acontece antes, durante ou depois (dos contos de cada uma) — explicou Érica, que publica agora seu primeiro trabalho de ficção.

No conto de Babi, leitores têm acesso à histórias de Isa, uma garota demissexual, orientação sexual que se enquadra dentro da letra A na sigla LGBTQQIA+, correspondente a "assexual", ou seja, quem não se sente sexualmente atraído por alguma pessoa, indepentenemente de seu gênero, sem antes ter tido algum envolvimento afetivo. A escritora aproveitou a semana do orgulho assexual, chamada também de "semana ace", para chamar atenção para essa temática em postagens no Twitter nesta terça-feira, dia 26.

"A gente está na Semana Ace e muitos coletivos e leitores têm listado livros com personagens ace. Eu queria apresentar outro pra vocês:Em "Desventuras", a protagonista do meu conto, a Isa, é ace e demissexual! E eu decidi escrever sobre algo que é importante pra mim!", afirmou a autora, convidando os seguidores para uma reflexão: "Que é, além da demissexualidade da protagonista, o questionamento sobre: quando você é fã de alguém, você automaticamente sente atração pela pessoa? Você pode ser super fã e ter o sonho de ser amigo do seu ídolo? A relação entre vocês precisa ser amorosa e romântica?"

Babi, que trabalha com produção de eventos há mais de 15 anos, disse que o que mais ela sente saudade nos shows presenciais são os acontecimentos dos bastidores, da correria e da sensação de criar algo memorável para quem é fã assim como ela própria.

— E isso foi uma base pra história da minha personagem. Desde 2013 eu trabalho com shows de K-pop e pensei que seria uma boa lembrança falar sobre isso e contar um pouco da minha experiência!

'Os dois morrem no final'

Em "Os dois morrem no final", do americano Adam Silvera, leitores acompanham a trajetória de Mateo Torrez e Rufus Emeterio, "dois jovens que dividem suas últimas horas de vida e, juntos, constroem experiências inesquecíveis", conforme a sinopse da editora Intrínseca. O título está disponível no Brasil desde o último dia 4. Embora sua primeira publicação tenha sido realizada nos EUA em setembro de 2017, a obra ainda tem grande alcance por lá e em outros países, de forma que, neste ano, conquistou o posto de livro jovem adulto mais vendido tanto em seu país de origem, quanto no Reino Unido e na Austrália.

A história começa com os protagonistas sendo surpreendidos por uma ligação da Central da Morte pouco depois da meia-noite com a informação de estão em seu último dia de vida. Diante das poucas horas restantes, Mateo e Rufus decidem aproveitar cada minuto. Em busca de alguém com quem compartilhar uma última experiência, aliviando a solidão, ambos acabam se conhecendo através de um aplicativo, trasformando o encontro numa aventura.

'Honestamente: sinceramente'

Inicialmente publicado na internet como uma fanfic de K-pop, o livro “Honestamente: sinceramente” (Rocco), escrito pela curitibana Bruna Zielinski e lançado em 28 de maio, foi inspirado nos ídolos Baekhyun e Chanyeol, ambos do EXO. Embora a versão final tenha sido adaptada, gerando nomes novos para os personagens principais, Benjamin Park e Leonardo Guimarães, a história manteve sua originalidade tal como foi divulgada online. Aliás, Bruna destacou que foi a partir do contato com fanfics que ela conheceu exemplos literários com personagens LGBTQIA+.

O enredo de “Honestamente: sinceramente” é sobre dois colegas de classe na faculdade que param de se falar após uma briga séria destruir a amizade deles. Sete meses depois, contudo, tudo muda entre eles quando se reencontram em uma festa e percebem que não são capazes de ficar longe um do outro. Para isso, decidem estabelecer regras, mas o mais difícil para os jovens é não quebrar justamente a primeira regra: não se apaixonar.

A inspiração para Bruna escrever fanfics surgiu a partir da busca que ela fez na web por informações sobre o EXO, ainda em 2012, quando começou a atuar como tradutora de conteúdo em inglês para português em um fórum.

— E um dia acabei em um tópico justamente sobre fanfics. Caí completamente de paraquedas, mas lendo essa fanfic, Suhoja (que significa Guardião, em coreano) acabei me apaixonando no mesmo dia. Foi, inclusive, meu primeiro contato com literatura em que tivessem personagens LGBTQIA+ vivenciando uma paixão, como protagonistas, e eu fiquei abismada com tudo aquilo.

'Laura Dean vive terminando comigo'

Escrita pela canadense Mariko Tamaki e ilustrada pela americana Rosemary Valero-O’Connell, a HQ "Laura Dean vive terminando comigo", disponibilizada no Brasil pela Intrínseca em 20 de dezembro de 2020, conta as dificuldades e decepções que uma relação amorosa pode trazer.

A adolescente Freddy Riley se apaixonou por Laura Dean, mas tudo o que ela queria era que a namorada parasse de terminar o relacionamento toda hora. Apesar dos sentimentos, Freddy precisará aceitar quando a relação não é algo mais saudável em sua vida, e seu rumo começa a tomar outra direção quando ela se consulta com uma vidente que lhe oferece um conselho capaz de mudar sua história.

O título de Mariko Tamaki saiu vitorioso com três Eisner Awards, importante prêmio do mundo dos quadrinhos, nas categorias melhor roteirista, melhor artista e melhor publicação para adolescentes.

"Eu amo muito este livro. Significa o mundo ver isso recebendo tanto amor da indústria", declarou Mariko numa postagem no Instagram.

'Espere até me ver de coroa'

"Espere até me ver de coroa", da americana Leah Jonhson, conta a história de Liz Lighty, que sempre achou que fosse negra, pobre e estranha demais para brilhar em sua pequena cidade rica.

Lançado no Brasil em 15 de dezembro de 2020 pela editora Alt, o livro traça os planos de Liz para estudar na renomada Faculdade Pennington, fazer parte da orquestra e, depois de muito esforço, se tornar uma médica. Seus sonhos, porém, são ameaçados quando ela se vê sem acesso à ajuda financeira com a qual contava. A esperança, então, passa a ser a competição pela bolsa de estudos oferecida pela escola para quem é eleito o rei e a rainha da festa de formatura.

Embora não goste nem um pouco da ideia de se candidatar, seu desejo por estudar fala mais alto e ela decide tentar. Apesar dos desafios, a situação fica mais aceitável com a convidência ao lado da aluna nova, chamada Mack. No entanto, a menina também acaba concorrendo pelo título de rainha, e Liz precisará enfrentar seus sentimentos pela rival enquanto disputa a tão sonhada bolsa de estudos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos