Dia do Samba será comemorado com três dias de eventos em Niterói; Mart’nália e Roberta Sá são atrações

Lívia Neder

NITERÓI — O Samba do Trabalhador, a Feira das Yabás e o Trem do Samba vão se encontrar com as agremiações carnavalescas de Niterói para festejar o Dia do Samba, celebrado na próxima segunda. A festa começa na Concha Acústica, hoje e amanhã, e termina na Sala Nelson Pereira dos Santos, segunda-feira, com o show “Mart’nália canta Vinicius”, cujo trabalho homônimo venceu o Grammy Latino de 2019, como melhor álbum de samba/pagode.

Organizada pela prefeitura, a programação na Concha Acústica terá como entrada um quilo de alimento não perecível e começará com rodas de samba a partir do meio-dia, para animar o almoço. Direto de Oswaldo Cruz, 16 barracas da Feira das Yabás, espalhadas pelo espaço de São Domingos, garantirão o cardápio. De jiló frito a rabada, passando pela feijoada, não faltará fonte de energia para os sambistas. Candongueiro, Filhos de Sinhá e Samba do Vale são as rodas convidadas, com direito a participações de Daniel Sisínio, Blecaute Junior, Lena Alves, Pedro Ivo, Nega Black, Marcus Lima e Mônica Mac.

Às 15h, os ritmistas, compositores e cantores das escolas de samba da cidade apresentarão seus sambas-enredos, incluindo os de 2020. Depois, a festa ganha convidados também de tradição. Hoje, eles serão recebidos por Marquinhos Diniz, com participação especial da Velha Guarda da Portela. O time inclui a família Diniz, com Mauro, Juliana e Paula, mais Fernando Brandão e o Grupo Nova Raiz.

Para fechar o sambão de hoje à noite, Moacyr Luz faz as honras da casa, com a turma do Samba do Trabalhador. Na sequência, o sambalanço de Bebeto, o partido-alto de Sombrinha e a ciranda de Roberta Sá mostrarão a diversidade da música brasileira. Moacyr destaca que, entre “compadres”, o evento propõe uma troca de gerações e influências:

— Nesse momento em que o Brasil está vivendo, um evento como esse é como segurar uma bandeira, resistir e avançar. A cultura está passando por um momento inseguro, então todo tipo de manifestação é importante. Se entregarmos o jogo não tem mais samba, adeus viola.

Amanhã, o anfitrião da festa é Marquinhos de Oswaldo Cruz, que conduz o Trem do Samba e promove a Feira das Yabás. Marquinhos, que já morou em Niterói, terá no palco a companhia de Zé Luiz do Império, Nelson Rufino, Oswaldinho da Cuíca e Alana Moraes. Para abrir mais a roda, Arlindinho e Lecy Brandão garantem que não deixarão ninguém parado.

Segunda-feira, às 20h, também em São Domingos, a festa seguirá com a poesia de Vinicius de Moraes e a voz e o pandeiro de Mart’nália. Na Sala Nelson Pereira dos Santos, os ingressos custarão R$ 20 e R$ 10. O repertório inclui clássicos assinados por Vinicius de Moraes, Baden Powell, Toquinho e Carlos Lyra.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER ( OGlobo_Bairros )