Diamante de 205 quilates arrecada mais de R$ 70 milhões em leilão

Foto: Divulgação/Christie's
Foto: Divulgação/Christie's
  • Diamante de 205 quilates conhecido como ‘Diamante da Cruz Vermelha’ foi vendido na última quarta-feira (11) por US$ 14,1 milhões;

  • Estimava-se que o diamante arrecadasse pouco mais US$ 10 milhões;

  • A pedra preciosa tem uma longa história envolvendo causas beneficentes;

Um diamante de cor amarelo canário de 205 quilates conhecido como ‘Diamante da Cruz Vermelha’ foi vendido na última quarta-feira (11) por US$ 14,1 milhões, cerca R$ 71,3 milhões na cotação atual, pela casa de leilões Christie’s, em Genebra, na Suíça.

A joia tem a forma de almofada e foi lapidada de uma pedra bruta de 375 quilates encontrada em 1901 em uma mina na África do Sul.

Depois do corte e polimento, o diamante passou a apresentar um desenho distinto de uma cruz de malta, com quatro ‘V’s na parte superior.

Leia também:

A pedra preciosa tem uma longa história envolvendo causas beneficentes, e parte do lucro obtido será destinada ao Comitê Internacional da Cruz Vermelha.

A história da joia começa em 1901, quando a pedra foi extraída na África do Sul pela ‘De Beers’, um conglomerado de mineração e comércio de diamantes. O item pesava 375 quilates.

A alcunha foi dada após o diamante ser leiloado pela primeira vez em 1918 com o objetivo de beneficiar a Sociedade Britânica da Cruz Vermelha e a Ordem de São João.

Na época, um famoso joalheiro londrino chamado S.J. Philips comprou a joia por £ 3 milhões, cerca de R$ 18,6 milhões.

Depois, em 1973, a pedra teve seu segundo destino, após ser leiloada por US$ 1,9 milhão, o equivalente a quase R$ 9,6 milhões, pela Christie’s na cidade de Genebra, na Suíça, para um proprietário privado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos