Em clima de Páscoa, Bolsonaro e aliados promovem polêmicas nas redes sociais

AlanSantos/PR

MELHOR JÁ IR POSTANDO…

Por Vitor Lima

Quando decidimos criar este espaço para comentar as movimentações do presidente Jair Bolsonaro (PSL) e seus colegas de governo no poder, jamais imaginaríamos o tipo de coisa que iríamos encontrar. Esta semana foi particularmente rica em bizarrices digamos, um tanto quanto lisérgicas. Começando pelo vereador Carlos Bolsonaro.

Mano do céu! Minha primeira e talvez a principal pergunta é: o que você tomou, Carlos!? Eu acho que quero também! A internet ficou chocada com o tweet do vereador e até agora não entendeu absolutamente nada!

Aparentemente o político acredita que os governos anteriores e militâncias de esquerda batizaram a merenda da criançada com maconha e chás alucinógenos e então se tornaram zumbis da série Walking Dead. Alguém faz um exame toxicológico no vereador, por favor?

Já na segunda-feira (15), o mundo parou para assistir o incêndio que destruiu grande parte da catedral de Notre-Dame, na França. No mesmo dia, Bolsonaro usou sua conta no Twitter demonstrar seu pesar pelo incidente.

Educado e consciente o nosso presidente, não? Pena que não temos esse tipo de atitude quando o problema acontece dentro do Brasil. Em 2 de setembro de 2018, quando um incêndio destruiu completamente o Museu Nacional, no Rio de Janeiro, Bolsonaro se limitou a dizer “já está feito, já pegou fogo, quer que faça o quê?”. Comoção seletiva que chama, né? Esperando aqui quanto dinheiro ele deve enviar para a reconstrução da catedral e quanto de indenização o Estado vai prover à família do homem fuzilado pelo Exército. Seguindo…

Na terça-feira (16), foi a vez da nossa ilustre ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos Damares Alves (toda vez que alguém diz isso, um urso panda morre na Ásia) nos premiar com a sua “concepção cristã” a respeito da família tradicional brasileira.

Questionada se a mulher deveria ser submissa ao homem, Damares deixou claro que dentro da doutrina o homem é sim, líder do casamento. “Dentro da doutrina crista, lá dentro da igreja, nós entendemos que um casamento entre homem e mulher, o homem é o líder do casamento. Então essa é uma percepção lá dentro da minha igreja, dentro da minha fé”.

A ministra logo se completou, afirmando que isso não significa que as mulheres tenham que “abaixar a cabeça para o patrão, para o agressor e para os homens que estão aí”. Quem aí concorda com isso? Ah, mulheres que concordam, uma dúvida: o marido deu permissão pra vocês lerem posts na internet?

Já na quinta-feira (18), foi dia de #tbt, né, galera? Nosso youtuber, quer dizer, presidente, sempre antenado com o mundo digital, entrou na onda da hashtag conhecida mundialmente e postou uma foto no seu Twitter. Na imagem podemos ver uma alguém importantíssimo e capaz de ditar o ritmo da sociedade. Do outro, Jair Bolsonaro.

Vale lembrar que a galera ficou se matando nos comentários da publicação depois que alguém pediu a legalização da rinha de galo! Alô, Luisa Mell, fica de olho aqui pra gente, fazendo favor! Dele eu não duvido de absolutamente nada. Imagina? “Tem que acabar com esse mimimi aí. Todo bicho na natureza briga, por que galo não pode, táokey?”

Ainda nesta semana, Bolsonaro fez um carinho na imprensa dizendo que ela era importante para que “a democracia não se apague”.

“Prezados integrantes da mídia, em que pese alguns percalços entre nós, nós precisamos de vocês para que a chama da democracia não se apague. Precisamos de vocês cada vez mais. Palavras, letras e imagens que estejam perfeitamente imanadas com a verdade. Nós, juntos, trabalhando com esse objetivo, faremos um Brasil maior, grande e reconhecido em todo o cenário mundial. É isso que nós queremos.”

Talvez nosso presidente é um pouco bipolar, pois um dia antes fez questão de atacar um dos maiores jornais do país, diga-se de passagem. Mais um daqueles casos de morde e assopra.

ERRAMOS!

No começo deste final de semana, informamos aqui sobre a pequena Yasmin se recusar a falar com Bolsonaro durante a celebração de Páscoa no Palácio do Planalto. O momento foi vinculado pelo próprio presidente no Twitter e replicado nessa publicação.

Horas depois, uma nova versão do vídeo foi divulgada mostrando o que o presidente teria dito com a menina. Na conversa, ele teria perguntando quem era torcedor do Palmeiras, causando a recusa da criança.

Desta forma, deixamos aqui claro o erro, sem estresse. Afinal, errar é humano. Mas algumas pessoas aparentemente esquecem o que é ser humano às vezes. Feliz Páscoa, abraço!

A opinião do colunista não reflete necessariamente a opinião do portal Yahoo.

__________________

A coluna “Melhor Já Ir Postando” é uma sátira com as redes sociais do presidente Jair Bolsonaro e sua família.