Diante do risco Le Pen, chefes de governo europeus pedem voto em “candidato democrata”

·1 min de leitura

A três dias do segundo turno da eleição presidencial francesa, os primeiros-ministros da Alemanha, da Espanha e de Portugal decidiram expor sua preferência no confronto entre Emmanuel Macron e Marine Le Pen. Em um texto publicado no jornal Le Monde desta quinta-feira (21), os três chefes de governo apresentam o atual presidente francês como o "candidato democrata" diante de uma adversária “que se coloca ao lado daqueles que atacam nossa liberdade e nossa democracia”.

Representantes de partidos social-democratas em seus países, o alemão Olaf Scholz, o espanhol Pedro Sánchez e o português António Costa decidiram sair do habitual silêncio em respeito ao processo eleitoral em outro país e escrever um texto no principal jornal francês, em apoio implícito a Macron. A atitude é inédita, segundo o diário, "que mostra a que ponto o pleito francês agonia os europeus", escreve Le Monde.

"A escolha que o povo francês enfrenta é crucial para a França e para todos nós na Europa. É a escolha entre um candidato democrático que acredita que a França é mais forte em uma União Europeia poderosa e autônoma, e uma candidata da extrema direita, que se coloca abertamente ao lado daqueles que atacam nossa liberdade e democracia", declaram os três chefes de governo, sem nomear os adversários.


Leia mais

Leia também:
Site francês Mediapart acusa Marine Le Pen de desvio de dinheiro da União Europeia
Eleição francesa: Ironia e trocas de acusações marcam o único debate entre Macron e Le Pen
Após 5 anos de governo, Macron tem desafio de superar "antimacronismo"

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos