Dias antes de morrer, brasileiro atingido por placa de gelo na Argentina disse que visitaria o país 'do fim'; saiba quem era o turista

"Um contador de histórias", "mensageiro natural das coisas naturais". Um viajante. Assim se definia o publicitário Dennis Cosmo Marin, de 37 anos. Ao lado da gatinha Lince, o brasileiro, morador de São Paulo (SP), registrava nas redes sociais o diário das viagens que fazia a bordo de sua Kombi pelo Brasil e por outros destinos da América Latina. Nesta quarta-feira (2), ele se arriscou em uma perigosa aventura nas Cavernas de Jimbo – interditada para visitações desde 2021, justamente por conta dos riscos –, em Ushuaia, no arquipélago da Terra do Fogo, extremo Sul da Argentina. Seria a última. Atingido por uma placa de gelo logo na entrada da gruta, ele não resistiu e acabou morrendo. A tragédia foi testemunhada por outros turistas brasileiros que também entravam no local, e inclusive filmada por um deles, que chegou a alertar, segundos antes: "Cuidado!".

'Sheik dos Bitcoins': vídeo da PF mostra mansão e carro de luxo no momento da prisão em Curitiba

Sem verba: ICMBio cancela operações de proteção a parques e reservas por duas semanas

Dennis havia decidido passar uma temporada na Argentina. Na primeira publicação feita por ele em seu diário on-line, no Instagram, chamado "Ô de Kombi", ele registrou o que seria a chegada no país vizinho, no último dia 16 de setembro. No post, feito em espanhol, ele acabaria fazendo, sem saber, um registro premonitório, ao referir-se à Argentina como "o país do fim".

"Aqui estou, no país dos hermanos e hermanas, de mates, empanadas, alfajores e meia-luas, dos helados (sorvetes), do assado e das milanesas. Da pecuária. Dos guanacos, das baleias, pinguins, lobos e leões marinhos. Dos pampas e serras, do deserto e do gelo. Do fim", escreveu na legenda da foto ao lado de uma amiga argentina.

"Cruzei com você na Sierra de La Ventana e trocamos boa tardes na frente de El Abra (caverna do local). Você transmitia muita paz com o olhar. Espero que sua tinha esteja bem e cuidada. QEPD (Descanse em paz)", lamentou, nesta quinta-feira, uma amiga na última publicação feita por Dennis em sua página, há 1 semana, em Mar Del Plata. "Grande aventureiro, que descanse em paz", escreveu outro seguidor. Alguns mostraram preocupação, também, em saber se a gatinha, que o acompanhava nas aventuras, estava bem.

O corpo do paulista foi resgatado após um trabalho de mais de 10 horas, de acordo com brigadistas locais e Corpo de Bombeiros. Ele já estava morto quando foi encontrado. Mais de 40 homens foram empenhados na ação. Ele estava acompanhado ainda de outras pessoas, que não se feriram, e também foram retiradas pelos socorristas. Dennis foi identificado graças aos documentos que havia deixado guardados em sua Kombi.

De acordo com um jornal local, "Resumen Policial", o blogueiro teria sido convidado para ir à caverna por outros compatriotas que conheceu no local.

O GLOBO procurou o Ministério das Relações Exteriores que, até o momento, não se pronunciou sobre a morte do brasileiro no país vizinho.