FAO afirma que medidas sustentáveis ajudarão a conter escassez de água

Brasília, 20 mar (EFE).- A adoção de medidas mais sustentáveis na agricultura ajudará a conter a escassez de água que ameaça o mundo, mas não bastará para solucionar os problemas em torno desse recurso, afirmou nesta terça-feira a FAO no Fórum Mundial da Água.

"A agricultura, como é praticada hoje, é responsável pelo uso de 70% da água potável do mundo", admitiu o brasileiro José Graziano da Silva, diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) em mensagem enviada ao fórum realizado em Brasília.

Segundo o brasileiro, "muitos pensam que a agricultura é um vilão, porque usa e contamina a água ou ameaça a sustentabilidade do planeta", mas desse setor dependem os alimentos que o mundo consome, por isso que o tratamento desses problemas deve ser comum e em conjunto.

"Não haverá nenhuma solução para os problemas da água de hoje sem abordar os sistemas de produção de alimentos e não haverá nenhuma solução para os problemas da água sem abordar os problemas da agricultura", ressaltou o diretor-geral da FAO.

Segundo Graziano da Silva, esse organização "trabalha para reduzir o número de pessoas que sofrem com a escassez da água e promove seu uso sustentável", o que implica na produção de alimentos "com menos água e com menor impacto ambiental".

No entanto, reiterou que a falta de água em zonas rurais é hoje produto de migrações em muitos lugares do planeta, nos quais não só falta esse recurso para a agricultura, mas para os próprios camponeses, que "muitas vezes não têm o que beber" e buscam uma vida melhor nas cidades, que têm assim os seus problemas agravados.

Segundo Graziano da Silva, a relação entre alimentação, água e agricultura leva também à necessidade de criar consciência sobre o elevado "desperdício de comida" que existe em muitos países. EFE