Didi prepara para relançar aplicativos na China e antecipa que investigação de dados terminará em breve, dizem fontes

·1 min de leitura

Por Julie Zhu e Yilei Sun

HONG KONG/ PEQUIM (Reuters) - A empresa de transporte por aplicativo Didi Global está se preparando para relançar seus aplicativos na China até o final do ano, prevendo que a investigação de segurança cibernética de Pequim sobre a empresa será encerrada até então, disseram três pessoas diretamente envolvidas no relançamento.

As fontes disseram esperar que o órgão regulador do ciberespaço da China finalize qualquer penalidade contra a empresa em dezembro.

A Didi reservou 10 bilhões de iuanes (1,6 bilhão de dólares) para uma potencial multa, disse uma das fontes.

Em julho, a poderosa Administração do Ciberespaço da China (CAC) ordenou que as lojas de aplicativos removessem 25 aplicativos móveis operados pela Didi - poucos dias depois que a gigante foi listada na Bolsa de Nova York. A CAC também disse à empresa para parar de registrar novos usuários, citando a segurança nacional e o interesse público.

Questionada sobre os preparativos para relançar os aplicativos e o valor reservado para uma possível multa, a Didi disse que a informação obtida pela Reuters foi "puro boato sem fundamento de fato" e que estava cooperando ativa e totalmente com a revisão da segurança cibernética, sem dar mais detalhes. A CAC não respondeu a um pedido de comentário.

As ações da Didi caíram pela metade desde sua estreia em Nova York, deixando seu valor de mercado em 43 bilhões de dólares. A investigação surgiu em meio a uma série de medidas regulatórias de Pequim que alteraram as normas para uma série de setores, de tecnologia a propriedade e aulas particulares.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos