Diego Montez fala da volta ao ar em 'Vai na fé', do namoro com ator e da relação com a mãe, Sônia Lima

Nos últimos dois meses, Diego Montez gravou uma participação em "Vai na fé" revivendo o William de "Bom sucesso"; rodou o filme "O sequestro do voo 375", da Disney; e começou a ensaiar para o espetáculo musical "Mamma mia!", que estreia em 2 de fevereiro, no Rio:

— Eu estou bem acostumado a fazer tudo ao mesmo tempo. Quem não está é meu cabelo (risos). Meu último dia de gravação de "Vai na fé" bateu com o meio das filmagens de "O sequestro", e o William tem aquele visual platinado. Então, o pessoal da produtora do filme arranjou um jeito de escurecer meu cabelo com uma tinta específica que saía logo depois para eu poder fazer minhas cenas. E agora voltei à minha cor original para a peça.

'Vai na fé': Rafa Kalimann vai estrear em novela e contracenará com o namorado, José Loreto

Casado com ator: Pedroca Monteiro fala de descoberta da sexualidade: 'Fui criado numa família com valores tradicionais

Na nova trama das 19h, que estreia no próximo dia 16, William surgirá já no primeiro capítulo. Agora, o personagem aparecerá como assessor de uma atriz. Já em "O sequestro do voo 375", o ator interpreta Rafael, um comissário de bordo. A trama é baseada na história real de um homem que sequestrou uma aeronave da Vasp no fim dos anos 1980 e obrigou o piloto a seguir para Brasília. Seu objetivo era um atentado contra o presidente da época, José Sarney. Montez explica como conseguiu fazer, concomitantemente, dois trabalhos tão distintos:

— Como o William foi preparado durante muito tempo em "Bom sucesso", logo que coloquei a roupa dele, os trejeitos e a voz voltaram. Foi como andar de bicicleta. Confesso que estava nervoso, mas, quando ligou a câmera, veio tudo. Já no filme é um clima diferente. Eu nunca tinha feito um longa de ação. Precisamos de dublê. É um aparato com o qual não estou acostumado. Mas eu estava muito bem assessorado. A Juliana Alves, minha parceira de elenco, me ajudou bastante (ela vive uma das integrantes da tripulação). Então, acho que consegui separar as energias dos dois personagens, que são bem conflitantes.

Com os trabalhos nas duas produções finalizados, o ator volta suas atenções para a peça "Mamma mia!", dirigida por Charles Möeller e Cláudio Botelho. A história foi criada a partir de músicas do grupo sueco ABBA:

— Todo mundo tem alguma lembrança do ABBA. Com poucos trabalhos minha mãe (a atriz e apresentadora Sônia Lima) ficou tão emocionada quanto com esse. Faço o Sky, noivo da Sophie (Maria Brasil). Ela resolve chamar para o casamento seus três possíveis pais depois de ler o diário da mãe.

Segundo o ator, Sônia sempre o apoiou, mas os laços ficaram ainda mais fortes depois da morte de seu pai, o apresentador Wagner Montes, em 2019:

— Depois de uma perda tão grande como essa, não tem como um não se apoiar no outro. Mas a admiração minha mãe sempre teve. Isso nunca mudou. Sou ator por causa dela. Ela que basicamente me forçou (risos), me colocou na aula de teatro. É minha maior fã e também a maior crítica. Ela fala: "Ah, não gostei disso, adorei aquilo". Esse crivo dela é importante para mim. Graças a Deus ela tem me acompanhado e torcido muito.

Quem também está sempre aplaudindo Montez é seu namorado, o ator Robson Lima.

— A gente está namorando desde 2019. Nos conhecemos num curso. Ele faz musical também, recentemente protagonizou "Grease" em São Paulo — explica Diego, acrescentando que os dois, por serem da mesma área, trocam muito sobre a profissão: — A parte mais gostosa do relacionamento é não existir competição. Estamos sempre na torcida um pelo outro.

Em 2023, além do musical, Diego quer focar no seu projeto social, "Cena 1", que garimpa jovens talentos do Brasil todo para estudar gratuitamente para teatro musical em São Paulo:

— São 16 alunos por ano. Estamos entrando no terceiro ano de projeto. Todos os últimos 32 já trabalharam com teatro, com audiovisual... As audições para os próximos 16 começam amanhã.