Dilma: Mandela inspirou o Brasil e a América do Sul

DESTAQUES EM MUNDO

DESTAQUES

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta terça-feira, durante uma cerimônia de homenagem a Nelson Mandela, que a luta daquele ex-presidente contra o apartheid inspirou o Brasil, "um país com sangue africano nas veias", e toda a América do Sul.

Dilma, uma ex-guerrilheira que, como Mandela, foi presa e torturada durante o regime ditatorial (1964-83), discursou no estádio de Soccer City, em Soweto, ao lado de outros líderes mundiais que vieram prestar uma última homenagem ao herói nacional sul-africano, falecido quinta-feira aos 95 anos de idade.

"Trago aqui o sentimento de profundo pesar do governo e do povo brasileiro e, tenho certeza, de toda a América do Sul pela morte desse grande líder Nelson Mandela", afirmou Dilma ao iniciar seu discurso.

"Personalidade maior do século XX, Nelson Mandela conduziu com paixão e inteligência um dos mais importantes processos de emancipação do ser humano da história contemporânea, o fim do apartheid na África do Sul", prosseguiu.

"O apartheid que Mandela e o povo derrotaram foi a forma mais elaborada e cruel da desigualdade social e política que se tem notícia nos tempos modernos. [Mandela] Inspirou a luta no Brasil e na América do Sul", garantiu a presidente do segundo país com a maior população negra do mundo, depois da Nigéria.

"Madiba, como carinhosamente vocês o chamam, constituiu exemplo e referência para todos nós, pela histórica paciência com que suportou o cárcere e o sofrimento, pela lúcida firmeza e determinação que revelou em seu combate vitorioso, pelo profundo compromisso com a justiça e a paz, sobretudo, por sua superioridade moral e ética", disse Dilma.

"Sua luta [de Mandela] transcendeu suas fronteiras nacionais e inspirou homens e mulheres, jovens e adultos, a lutarem por sua independência e pela justiça social. Deixou lições não só para seu querido continente africano, mas para todos aqueles que buscam a liberdade e a justiça e a paz no mundo", destacou.

"O governo e o povo brasileiro se inclinam diante da memória de Nelson Mandela. Transmito à senhora Graça Machel [viúva de Mandela], aos seus familiares, ao presidente [Jacob] Zuma e a todo o povo sul-americano, sul-africano, nosso profundo sentimento de dor e de pesar. Viva Mandela para sempre!", afirmou a presidente brasileira ao final de seu discurso.

Na cerimônia, Dilma recebeu um abraço do presidente Barack Obama, que, em seguida apertou a mão de seu colega cubano Raúl Castro, com quem trocou algumas palavras.

Carregando...

YAHOO NOTÍCIAS NO FACEBOOK

Siga o Yahoo Notícias