Dilma responsabiliza Temer e presidente da Petrobras por greve

Ronaldo Silva/Futura Press

A ex-presidente Dilma Rousseff usou as redes sociais para falar sobre a greve de caminhoneiros que afeta o país há 5 dias. A petista culpou o presidente Michel Temer, que foi seu vice, o presidente da Petrobras Pedro Parente, “e todos aqueles que apoiaram e continuam apoiando o governo golpista.”

“Sem meias palavras, a responsabilidade deste colapso é de Michel Temer, Pedro Parente, de todos aqueles que apoiaram e continuam apoiando o governo golpista, além da Rede Globo que está estimulando o pânico e a especulação com os preços dos alimentos”, escreveu em seu Instagram.

Para a ex-presidente a saída para a crise está na recuperação da Petrobras, na renúncia de Parente e no “reestabelecimento da democracia no Brasil”.

“A paralisação do transporte rodoviário no país é resultado direto da política irresponsável de preços de combustíveis da Petrobras sob o governo golpista, que atingiu primeiramente a população mais pobre, com os aumentos escandalosos do gás de cozinha. Trata-se de uma crise anunciada e agravada pelo noticiário da Rede Globo, que estimula a corrida aos postos e supermercados, além da especulação com preços dos alimentos. A Globo investe na crise, como ao longo do golpe do impeachment de 2016”, continuou.

“Na época dos governos do PT os preços do diesel, da gasolina e do gás acompanhavam os preços internacionais em ciclos longos. Os reajustes eram feitos de forma espaçada e moderada, conciliando os interesses da empresa com os interesses maiores do bem-estar público e da eficiência global da economia. Já a gestão golpista da Petrobras adotou uma política de transferência compulsória e imediata das oscilações internacionais para o mercado interno e de maximização dos preços dos derivados, com o intuito único de remunerar os acionistas e tornar a empresa atrativa para as privatizações setoriais a que é atualmente submetida. Tal política, que trata a Petrobras como se fosse uma bolha privada desconectada do interesse nacional, provocou uma volatilidade absurda dos preços, que passaram a ser reajustados, em alguns casos, de forma praticamente diária”.

Dilma encerra a publicação dizendo ser “urgente reverter a política ultraliberal de Pedro Parente, que trata a Petrobras como se fosse uma empresa privada, com foco no lucro de quem detém ações (grande parte estrangeiros), em detrimento do maior de todos os acionistas: o povo brasileiro!”