Dilma vence processo por ter sido chamada de burra

·1 minuto de leitura
(AP Photo/Eraldo Peres)
(AP Photo/Eraldo Peres)

A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) venceu, mais uma vez, no Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), uma empresa de concursos que usou sua imagem em uma publicidade de maneira ofensiva. O valor a ser pago para a petista é de R$ 60 mil.

A empresa, na peça em questão, veiculou a imagem da ex-presidente à frase “como deixar de ser burro”. Na defesa ado processo, de acordo com informações da revista Veja, a defesa da empresa chegou a alegar que a ex-presidente citou “estocar vento” em um dos seus discurso.

Leia também

A Estratégia Concursos, no entanto, não convenceu a corte, que concedeu outra vitória à ex-presidente. A primeira decisão favorável à Dilma é de maio desde ano, na mesma corte. A multa final a ser paga, no entanto, é cerca de 20% do valor original pedido pelos advogados de Dilma.

No início do processo, os advogados da ex-presidente haviam solicitado pagamento de R$ 300 mil da empresa, que também alegou “ter usado imagem de Dilma da vida pública e não pessoal”, em outra tática que acabou sem efeito.

A juíza Gislene Mansur, de Minas Gerais, afirmou em sua sentença que a associação de Dilma ao conteúdo revelou-se “extremamente ofensivo à honra”, mas negou pedido de retratação por acreditar que geraria maior exposição da imagem de Dilma, ao contrário do que seria desejado. “Recrudescerá os danos à sua honra”, escreveu Mansur de acordo com a Veja.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos