Dinamarca vai alugar prisão no Kosovo para condenados estrangeiros

·1 min de leitura

A Dinamarca pretende enviar 300 presos para cumprir suas penas a quase 2.000 km de seu território, alugando celas em prisões no Kosovo. Os dois países assinaram um acordo para o repasse de prisioneiros que seriam expulsos do país após cumprirem sua pena.

Com este acordo de “exportação” de presos, a Dinamarca tenta desestimular refugiados a buscarem asilo em seu território. O convênio terá de ser aprovado por dois terços do Parlamento dinamarquês para ter validade, mas gera polêmica na Europa.

O contrato assinado com o Kosovo se baseia em uma lei aprovada em junho no país escandinavo. Ela determina que todos os prisioneiros que pedirem asilo no país serão enviados para um centro fora da União Europeia, enquanto aguardam o processo.

No caso dos 300 detentos estrangeiros que poderiam ser enviados para Kosovo, fora das fronteiras do bloco europeu, todos serão deportados para seus países de origem após cumprirem suas penas.

Eles ficarão em uma prisão do leste do país e estarão sujeitos às leis dinamarquesas, ainda que todos os guardas da prisão sejam kosovares.

As autoridades dinamarquesas pretendem pagar € 210 milhões ao Kosovo por este serviço. O acordo também prevê uma ajuda de € 6 milhões ( cerca de R$ 40 milhões) por ano para que o país invista na transição ecológica, explica Romain Lemaresquier, jornalista do serviço europeu da RFI.

Aumento da capacidade carcerária

De acordo com o Ministro da Justiça kosovar, os prisioneiros enviados ao Kosovo não serão terroristas nem prisioneiros perigosos.

(Com informações da AFP)


Leia mais

Leia também:
Polônia quer construir muro para impedir que migrantes cruzem a fronteira com Belarus
Jovem refugiada afegã em Istambul relata tortura na fronteira da Turquia
Barco naufraga no Canal da Mancha, e ao menos 27 migrantes morrem afogados

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos