Diniz valoriza vitória do Fluminense sobre o Nova Iguaçu, mas pondera: 'Ainda vamos atingir nossa melhor forma'

O Fluminense venceu o Nova Iguaçu por 1 a 0, nesta terça-feira, no Maracanã, pela segunda rodada da Taça Guanabara. O placar parece curto, mas é preciso levar em conta que o tricolor atuou com a equipe reserva, apesar de alguns reforços para a temporada. O técnico Fernando Diniz levou isso em consideração na hora de elogiar a equipe após o triunfo.

— Evidentemente que tivemos algumas falhas de entrosamento, parte técnica e física, mas quero ressaltar e dar os parabéns para os jogadores porque das coisas que combinamos eles cumpriram o principal. Por isso conseguimos vencer. É sempre difícil jogar contra essas equipes bem treinadas e bem dispostas. O treinador do Nova Iguaçu tá de parabéns. Superamos as dificuldades da temporada com muita vontade — declarou Fernando Diniz.

— Os jogadores se entregaram de sobremaneira na marcação e eles (Nova Iguaçu) tiveram poucas chances de marcar. Em um erro ou outro nosso... Teve o chance de muito longe e uma cabeçada. De resto, não cedemos praticamente nada, como contra o Resende. Temos que continuar assim, se dedicando ao máximo, porque as outras coisas a gente vai adquirir ao longo dos treinamentos e dos jogos — completou o treinador.

O técnico Fernando Diniz também avaliou os reforços que chegaram ao Fluminense. Ao todo, Guga, Vitor Mendes, Jorge, Lima e Keno começaram entre os titulares. Giovanni Manson entrou no segundo tempo. O técnico falou sobre a atuação coletiva dos atletas.

— Todos os reforços foram muito selecionados para vir para o Fluminense. Todos eles conseguiram corresponder. Todos eles tiveram as dificuldades naturais de jogar em um sistema novo. Também sentiram a carga de treinamentos que temos dados. Estamos preparando o time para a temporada. Todos cumpriram o que tinham que cumprir.

Diniz também explicou a opção por colocar Pedro Rangel como reserva imediato de Fábio, quando se esperava por Vitor Eudes, o único reforço que não atuou na partida.

— Os clubes brasileiros tem dificuldades de lançar goleiros. Ficamos muito restrito para revelar jogadores dessa posição. Vi no Pedro Rangel um jogador que tem características plenas para ser titular do Fluminense um dia. Ele tem um bom jogo com os pés. Fez um bom campeonato pelo sub-23. No treinamento, ele passou total confiança. O Vitor Eudes não conhece tanto o sistema, mas ele vai brigar pela titularidade com o Fábio no futuro.

Confira outras respostas de Fernando Diniz

Preparação física: "Muito difícil fazer esse tipo de afirmação. Futebol é muito complexo. Hoje não foi a condição física que mais pesou. Os jogadores do Nova Iguaçu sentiram mais câimbra do que os nossos. Parte tática e física não são coisas separados. As ideias estão mais bem sedimentadas. Tenho certeza que daqui a pouco todos estarão na mesma página"

Opção pelos reservas: "Tem uma questão de mesclar um time com o outro. Mas não necessariamente isso vai dar certo. Um pode estar em uma rotação e outra em outra. Esses jogadores tem treinado rotineiramente juntos. Os treinos tem sido muito equilibrados e isso me deu segurança [para escalar os reservas]. Tenho confiança que os jogadores são competitivos"

Polivalência de Lima: "Giovanni, Nonato, Martinelli, o próprio Michel Araújo já jogaram comigo em outras opções. O Lima entrou antes na posição do Ganso, agora mais perto do Felipe Melo. Meu trabalho faz os jogadores migrarem de posição. O Isaac já tinha jogada de 10 comigo, ele jogou um pouco ali, depois foi para a ponta. Essa polivalência vai ser algo natural. Como acontece com André, Martinelli e outros jogadores"