Dino diz que serão abertos três inquéritos para investigar vandalismo no STF, Planalto e Congresso

***ARQUIVO*** BRASÍLIA, DF,  BRASIL,  27-12-2022, Os futuros ministros da Defesa, José Múcio, e da Justiça, Flávio DIno (FOTO), do governo Lula, participam de coletiva de imprensa com o governador do DF Ibaneis Rocha, após uma reunião na qual trataram do esquema de segurança pra posse e dos episódios de tentativa de atentado terrorista nos últimos dias. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO*** BRASÍLIA, DF, BRASIL, 27-12-2022, Os futuros ministros da Defesa, José Múcio, e da Justiça, Flávio DIno (FOTO), do governo Lula, participam de coletiva de imprensa com o governador do DF Ibaneis Rocha, após uma reunião na qual trataram do esquema de segurança pra posse e dos episódios de tentativa de atentado terrorista nos últimos dias. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, disse que haverá a abertura de três inquéritos para investigar os ataques ao Congresso, STF (Supremo Tribunal Federal) e Palácio do Planalto.

A intenção é saber quem são as pessoas que participaram dos atos e quem são os financiadores, que ainda estão sendo identificados. Dino disse que cerca de 1.500 pessoas que participaram dos atos foram presas.

O ministro disse que já está com a relação de todas as pessoas que financiaram os veículos que chegaram em Brasília. Eles serão ouvidos pela Polícia Federal.

Manifestantes bolsonaristas com pedidos antidemocráticos entraram na Esplanada dos Ministérios na tarde deste domingo (8), invadiram áreas do Congresso, do Planalto e do STF (Supremo Tribunal Federal), e entraram em confronto com a PM.

As forças de segurança conseguiram desocupar os prédios públicos invadidos na praça dos Três Poderes, usando para isso muitas bombas de efeito moral e spray de pimenta.

Os agentes começaram a ter êxito na operação por volta das 16h.

Helicópteros da Polícia Militar e da Polícia Federal também agiram, sobrevoando a praça e atirando bombas de gás. A tropa de cavalaria também foi acionada, além de carros blindados.

O vandalismo contra as sedes dos Três Poderes levou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) a decretar a intervenção federal na área de segurança do Distrito Federal.