Diplomacia da vacina: Índia busca rivalizar com China ao exportar imunizantes

Sanjeev Miglani
·2 minuto de leitura

Por Sanjeev Miglani

NOVA DÉLHI (Reuters) - A Índia aprovou o embarque da sua vacina contra Covid-19 para o Camboja e planeja fornecer à Mongólia e aos países das ilhas do Pacífico, disseram autoridades neste domingo, dia em que os suprimentos chegaram ao Afeganistão, em movimentos que fazem parte de uma ampla política de diplomacia da vacina no país.

Procurando se posicionar à frente de sua rival na Ásia, a China, que também prometeu enviar vacinas para o estrangeiro, o governo do primeiro-ministro Narendra Modi tem enviado aos países vizinhos milhões de doses da vacina AstraZeneca, produzida na Índia, ainda que o programa doméstico de imunização tenha apenas começado.

Modi está usando a força da Índia como maior fabricante mundial de vacinas contra várias doenças para fortalecer laços regionais e resistir ao domínio político e econômico regional da China.

O governo indiano aprovou 100.000 doses para o Camboja em caráter urgente, após um pedido feito a Modi pelo primeiro-ministro cambojano Hun Sen, segundo afirmou a emissária da Índia em Phnom Penh.

O Camboja é um importante aliado da China, que deve fornecer um milhão de doses de vacinas contra Covid-19, desenvolvidas principalmente pela estatal Sinopharm.

"O fornecimento foi garantido através do Instituto Serum da Índia, apesar dos inúmeros pedidos concorrentes de países parceiros e de nosso compromisso com nossa população doméstica", disse a embaixadora indiana no Camboja, Devyani Khobragade.

A Índia forneceu doses a Mianmar, Bangladesh, Nepal, Sri Lanka e Maldivas para ajudá-los a iniciar o trabalho de imunização com os profissionais da linha de frente da saúde, como parte da iniciativa Vacina Amiga.

Neste domingo, a Índia enviou 500 mil doses da vacina AstraZeneca ao Afeganistão, a primeira a chegar ao país devastado pela guerra, que ainda aguarda a aprovação emergencial da Organização Mundial de Saúde para administrá-las na população.

A Índia investiu milhões de dólares no Afeganistão ao longo dos anos, em um esforço visto como uma tentativa de diminuir a influência do arquirrival Paquistão no país. "As vacinas estão sendo fornecidas como doações", disse uma fonte do governo.

Até agora, a Índia forneceu 15,6 milhões de doses da vacina a 17 países por meio de doações ou contratos comerciais, disse um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Anurag Srivastava.

As remessas serão enviadas para a Mongólia, para países do Caribe e para estados das ilhas do Pacífico nas próximas semanas, disse ele. “O abastecimento externo é um processo contínuo, dependendo da disponibilidade e da necessidade doméstica."

A Índia, que tem o segundo maior número de casos de coronavírus do mundo, planeja imunizar 300 milhões de pessoas até agosto. O país já vacinou cerca de 3 milhões de profissionais de saúde nas primeiras duas semanas da campanha, que começou em 16 de janeiro, e precisará acelerar o ritmo para cumprir a meta.