Diplomata russo na ONU demite-se alegando ter vergonha da invasão da Ucrânia

Um diplomata russo na ONU entregou a carta de demissão, nesta segunda-feira, abandonando assim a missão diplomática da Rússia, em Genebra. Boris Bondarev, de 41 anos, disse que nunca teve tanta vergonha do seu país como no dia da invasão da Ucrânia.

“Em 20 anos de carreira diplomática, vi diferentes reviravoltas na nossa política externa, mas nunca tive tanta vergonha do meu país como a 24 de fevereiro deste ano”, fazendo referência à data da invasão.

Na carta, o conselheiro diplomático critica a “guerra agressiva desencadeada” pelo Presidente russo, Vladimir Putin, na Ucrânia.

Numa altura em que Vladimir Putin tenta silenciar oposições ao Kremlin, esta demissão é algo inédita e demonstra o descontentamento do corpo diplomático russo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos