Diplomatas fazem greve na França contra fim de carreira exclusiva

Os funcionários do ministério de Relações Exteriores francês entraram em greve nesta quinta-feira (2), em protesto contra um decreto do presidente francês, Emmanuel Macron. O texto abre a possibilidade para que os cargos diplomáticos sejam ocupados por servidores de outros ministérios e do setor privado.

Lançada por 600 servidores do ministério das Relações Exteriores apoiados por sindicatos, a greve dos diplomatas é considerada como um "movimento social raro", de acordo com o jornal Libération. Os grevistas alertam para o fim do que consideram uma “carreira especializada”. Esta é a segunda vez na história da França que os funcionários públicos fazem um protesto desse tipo.

Em abril, entre os dois turnos da eleição presidencial, o presidente francês, Emanuel Macron, declarou que acabaria com a carreira diplomática na França. Isso significa que o corpo diplomático francês agora será formado por servidores de diferentes ministérios e admitirá a possibilidade, inclusive, de recrutar funcionários no setor privado.

Redução dos recursos

O governo francês defende que o objetivo é garantir mais diversidade de recrutamentos, polivalência e mobilidade, além de melhorar a eficiência e acabar com o corporativismo, lembra La Croix.

Mas, para o jornal, a greve revela, na verdade, que as condições de trabalho pioraram com a redução de recursos alocados ao ministério das Relações Exteriores nas últimas décadas.

O diário católico destaca que a reforma foca no recrutamento e ignora a adaptação dos diplomatas para enfrentar novas batalhas sobre temas como a crise climática e a transição digital.


Leia mais

Leia também:
França: professores fazem greve contra gestão da Covid-19 nas escolas
De olho na eleição presidencial, franceses vão às ruas exigir melhores salários

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos