Direita italiana deve ganhar eleição e Movimento 5 Estrelas pode surpreender, dizem pesquisadores

Silvio Berlusconi, Giorgia Meloni e Matteo Salvini em Roma

Por Gavin Jones e Angelo Amante

ROMA (Reuters) - O bloco de direita da Itália, liderado por Giorgia Meloni, deve vencer as eleições de domingo, mas o sentimento dos eleitores mudou nas últimas duas semanas e surpresas não devem ser descartadas, dizem os pesquisadores.

Desde que a publicação de pesquisas de opinião foi proibida há duas semanas, o Movimento 5 Estrelas, sem alianças, parece ter feito progressos significativos enquanto a Liga, de direita, está tendo dificuldades, de acordo com sete pesquisadores entrevistados pela Reuters.

A Liga, de Matteo Salvini, é o principal aliado do Irmãos da Itália, de Meloni, que deve consolidar sua posição como a força mais popular à frente do Partido Democrático (PD), de centro-esquerda, de Enrico Letta, de acordo com as pesquisas.

Em termos do resultado geral, muitos pesquisadores dizem que a probabilidade de a direita ganhar a maioria em ambas as casas do Parlamento e formar o próximo governo diminuiu um pouco devido à ascensão do Movimento 5 Estrelas, mas continua sendo de longe o resultado mais provável.

"Nada deve ser descartado", disse Renato Mannheimer, chefe da agência de pesquisas Eumetra. "Eu colocaria a probabilidade de uma maioria à direita entre 60 e 65%, que encolheu de cerca de 80% há três semanas."

Todos os outros pesquisadores viram menos chance de uma virada. Suas estimativas sobre a probabilidade de uma vitória conservadora variaram de 70% até 100% previstos por Federico Benini, chefe da agência Winpoll.

No momento do início do recesso das pesquisas em 10 de setembro, a maioria das pesquisas colocava o Irmãos da Itália com cerca de 24% e o bloco conservador combinado, também composto pela Liga e pelo Força Itália, do ex-premiê Silvio Berlusconi, com cerca de 46%.

A vitória era considerada como garantida devido às divisões à esquerda, em particular o colapso pouco antes do início da campanha de uma aliança entre o PD e o Movimento 5 Estrelas do ex-primeiro-ministro Giuseppe Conte.

Esse cenário de vitória da direita permanece firme, disseram os pesquisadores, apesar dos sinais de progresso para o Movimento 5 Estrelas, que estava em profunda crise até alguns meses atrás, mas agora deve ultrapassar a Liga como o terceiro partido mais popular.

No entanto, a maioria dos pesquisadores concordou que a divisão entre o Movimento 5 Estrelas e o PD destruirá as chances de ambos os partidos de garantir um terço dos assentos parlamentares devido ao sistema que favorece a aliança vencedora.