Direitos da população, democracia e soberania serão pilares do governo

Logo Agência Brasil
Logo Agência Brasil

Durante seu discurso de posse, hoje (1º), no Congresso Nacional, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que os diretos e interesses da população, o fortalecimento da democracia e a retomada da soberania nacional serão os pilares do seu novo governo. “Nenhuma nação se ergueu nem poderá se erguer sobre a miséria de seu povo”, disse.

“Este compromisso começa pela garantia de um Programa Bolsa Família renovado, mais forte e mais justo, para atender a quem mais necessita. Nossas primeiras ações visam a resgatar da fome 33 milhões de pessoas e resgatar da pobreza mais de 100 milhões de brasileiras e brasileiros, que suportaram a mais dura carga do projeto de destruição nacional que hoje se encerra”, completou o presidente.

Notícias relacionadas:

Lula lembrou da sua primeira posse, em 1º de janeiro de 2003, quando se comprometeu com a soberania alimentar da população. “Ter de repetir este compromisso no dia de hoje, diante do avanço da miséria e do regresso da fome que tínhamos superado, é o mais grave sintoma da devastação que se impôs ao país nos anos recentes”, disse.

A mensagem do presidente foi de esperança e reconstrução. “Em 2002, dizíamos que a esperança tinha vencido o medo, no sentido de superar os temores diante da inédita eleição de um representante da classe trabalhadora. Em oito anos de governo deixamos claro que os temores eram infundados. Do contrário, não estaríamos aqui novamente”, destacou.

Segundo Lula, o diagnóstico feito pela equipe de transição de governo, será amplamente divulgado, “para que as pessoas saibam como é que encontramos o país e cada um faça sua avaliação”.

“Esvaziaram os recursos da Saúde. Desmontaram a Educação, a Cultura, Ciência e Tecnologia. Destruíram a proteção ao Meio Ambiente. Não deixaram recursos para a merenda escolar, a vacinação, a segurança pública, a proteção às floresta e assistência social, desorganizaram a governança da economia, dos financiamentos públicos, do apoio às empresa, aos empreendedores e ao comercio externo, dilapidaram as estatais e bancos públicos, entregaram o patrimônio nacional”, citou. “É sobre estas terríveis ruínas que assumo o compromisso de, junto com o povo brasileiro, reconstruir o país e fazer novamente um Brasil de todos e para todos”.