Diretor criativo da Gucci Alessandro Michele vai renunciar, diz Kering

Por Mimosa Spencer e Silvia Aloisi

PARIS (Reuters) - O diretor criativo Alessandro Michele está deixando a Gucci, principal marca da empresa francesa de artigos de luxo Kering's, depois de sete anos, confirmou a Kering na quarta-feira.

"Sou grato a Alessandro por trazer tanto de si nesta aventura", disse François-Henri Pinault, presidente e CEO da Kering em comunicado, referindo-se ao mandato do designer como "um momento marcante" na história da marca.

A saída do estilista, relatada pela primeira vez pelo Women's Wear Daily (WWD), a partir de fontes não identificadas, ocorreu após tensões entre o estilista e a alta gerência da Kering, disse uma fonte à Reuters.

"Há momentos em que os caminhos se separam devido às diferentes perspectivas que cada um de nós pode ter. Hoje termina para mim uma extraordinária jornada de mais de vinte anos, dentro de uma empresa à qual dediquei incansavelmente todo o meu amor e paixão criativa", disse Michele.

Ex-designer de acessórios, Michele é tido como responsável por ressuscitar a popularidade da Gucci com estilos extravagantes e de gênero fluido.

A saída de Michele ocorre no momento em que se aproximam a temporada de festas de final de ano e os desfiles de moda de janeiro.

Após um recuo durante a pandemia, a Gucci planeja voltar a um calendário de moda completo no ano que vem, com seis coleções.

A Kering não nomeou um sucessor para o designer nesta quarta-feira, observando que o "escritório de design da marca continuará a levar adiante a direção da Maison até que uma nova organização criativa" seja anunciada.