Diretor da cerimônia de abertura das Olimpíadas pede demissão por polêmicas após piadas sobre Holocausto

·1 minuto de leitura

Às vésperas da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de 2020 em Tóquio, o diretor do evento, Kentaro Kobayashi, pedi demissão após as polêmicas envolvendo as suas piadas sobre o Holoausto virem à tona. O anuncio foi feita nesta quarta-feira por Seiko Hashimoto, presidente do Comitê Organizador de Tóquio 2020.

— Kobayashi disse que, no passado, fez coisas não apropriadas na época. Em seu pedido de demissão, ele disse: “De fato quando eu olho pra essa situação eu compreendo que não tenha feito rir muita gente fiz troça de fatos históricos. Hoje, sei que devo apresentar minhas desculpas, muitas pessoas se sentiram incomodadas.” Ele pediu demissão, e aceitamos esse pedido — disse Seiko Hashimoto.

— Não conseguimos investigar todo o passado das pessoas envolvidas com os Jogos. A responsabilidade final está sobre mim. Não queremos nenhum constrangimento para o povo japonês.

O Holocausto foi o genocídio de 6 milhões de judeus orquestrado por Adolf Hitler entre 1933 e 1945. No vídeo, o comediante debocha da tragédia e diz "Vamos brincar de Holocausto".

A demissão de Kobayashi aconece após uma série de outras polêmicas causarem constrangimentos para os organizadores do evento. Antes disso, o ex-presidente de Tóquio 2020, o ex-primeiro-ministro Yoshiro Mori, deixou o cargo em fevereiro após fazer comentários sexistas, enquanto o diretor criativo das Olimpíadas de Tóquio, Hiroshi Sasaki, renunciou em março após fazer um comentário depreciativo sobre uma popular artista japonesa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos