Diretor-geral da PRF é alvo de pedido de investigação de subprocuradores

Apoiadores de Jair Bolsonaro bloqueiam a Rodovia Castelo Branco (SP) (Foto: CAIO GUATELLI/AFP via Getty Images)
Apoiadores de Jair Bolsonaro bloqueiam a Rodovia Castelo Branco (SP) (Foto: CAIO GUATELLI/AFP via Getty Images)

Subprocuradores-gerais da República pediram a abertura de um inquérito policial para investigar Silvenei Vasques, diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal (PGR). A solicitação partiu dos responsáveis por fiscalizar a atividade policiais. As informações são do jornal O Globo.

Silvenei Vasques será investigado pela atuação no domingo (30), dia do segundo turno das eleições, quando restringiu a locomoção de eleitores no Nordeste, e na segunda (31), pela falta de ação durante as paralisações nas estradas federais.

No ofício, os membros da 7ª Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal apontam que há suspeitas de que a PRF desobedeceu ordem do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para não realizar operações envolvendo o transporte de eleitores.

Por isso, apontam que Vasques pode ter cometido os crimes de prevaricação e desobediência.

Além disso, dizem que há indícios de que a PRF não tem atuado de forma adequada para desmobilizar as manifestações nas rodovias e liberar o fluxo nas estradas desde ontem.

Ainda conforme o jornal O Globo, o ofício foi enviado ao MPF na primeira instância e distribuído a um procurador, que deverá solicitar abertura de inquérito à Polícia Federal.