Diretor de hospital atingido por incêndio em São Gonçalo vai prestar depoimento na próxima semana

Marcos Nunes
·2 minuto de leitura

RIO — A Polícia Civil identificou nesta sexta-feira a vítima do incêndio no Hospital e Clínica São Gonçalo (HCSG), na quinta-feira, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio. O paciente Carlos Santos, de 62 anos, estava internado no quinto andar do prédio anexo ao hospital.

De acordo com o delegado Allan Duarte, da 72ª DP(São Gonçalo), a polícia vai analisar imagens de câmeras de segurança do hospital. O objetivo é descobrir como e em que momento começou o incêndio que deixou outras três feridas. Segundo o Duarte, a direção do hospital colabora com a polícia nas investigações.

— O diretor do hospital foi ouvido informalmente e vai prestar depoimento na próxima semana. Também já estamos com imagens de câmeras de segurança do hospital que serão analisadas. Queremos saber como e em que momento começou o incêndio. Estamos apurando se houve alguma omissão ou intervenção humana — disse o delegado.

Uma perícia complementar foi feita, nesta sexta-feira, no andar afetado pelo incêndio. O resultado da perícia deverá ser conhecido dentro de 30 dias. A polícia também aguarda o laudo de necrópsia, feito no corpo de Carlos Santos, para atestar a causa da morte do paciente.

— Queremos saber se ele morreu carbonizado ou por asfixia de gás tóxico produzido por fumaça. O resultado da necrópsia pode esclarecer isso — disse o delegado.

De acordo com a assessoria de imprensa do HCSG, o incêndio atingiu apenas o CTI 3 que fica no quinto andar, onde havia dez leitos destinados para tratamento de Covid-19. Do total de três feridos, dois foram transferidos para outra unidade de saúde e o terceiro ecaminhado para outro setor do próprio Hospital.

Abaixo, a íntegra da nota do Hospital e Clínica São Gonçalo.

"O Hospital e Clínica São Gonçalo (HCSG) esclarece que o princípio de incêndio ocorrido na tarde do dia 24 de dezembro de 2020, às 13h09m, foi restrito ao CTI 3, no 5º andar, o qual possui 10 leitos, destinados ao tratamento de pacientes com Covid-19.

A brigada de incêndio do hospital foi até o local e acionou o corpo de bombeiros que chegou com brevidade, contendo o fogo rapidamente. A ação rápida da brigada, bombeiros e técnica na remoção dos pacientes da unidade atingida, permitiu que os pacientes fossem realocados em outros setores de internação no próprio hospital, seguindo todos os protocolos de segurança. Apenas o CTI 3 foi isolado e todo funcionamento da unidade hospitalar restabelecido. A princípio não foi identificada a causa do incêndio, que será avaliado e liberado laudo pela perícia técnica competente.

Dos 09 pacientes internados no CTI 3, tivemos uma vítima fatal. Dois pacientes foram removidos para outra unidade hospitalar, e os demais foram realocados, tendo seus tratamentos continuados, de acordo com os protocolos de segurança da unidade hospitalar.

O Hospital e Clínica São Gonçalo lamenta o ocorrido, e se coloca à disposição, por meio da nossa área de Comunicação (assessoria@hcsg.com.br), para intermediar eventuais esclarecimentos".