Diretor jurídico do Grêmio crava: "Se houver torcida, Grêmio não entra em campo contra o Flamengo pela Copa do Brasil"

·1 minuto de leitura
Jogadores de Grêmio e Flamengo discutem no jogo de Porto Alegre. Foto: Pedro H. Tesch/AGIF
Jogadores de Grêmio e Flamengo discutem no jogo de Porto Alegre. Foto: Pedro H. Tesch/AGIF

O jogo de volta entre Flamengo e Grêmio, nas quartas-de-final da Copa do Brasil, poderá ter a presença de público, no Estádio Mané Garrincha. A medida favorece o Flamengo, mandante da partida, e revolta o Grêmio. 

O diretor-jurídico do Grêmio, Nestor Hein, foi taxativo. 

Leia também:

"Não tivemos público no jogo de Porto Alegre e agora o Flamengo poderá ter. Não aceitamos e se isso for confirmado, o Grêmio não entra em campo. O Flamengo vive um mundo à parte,faz o que quer e não consulta ninguém. Há regras a cumprir e nossa capacidade de conviver é pelas regras. A CBF diz que não público em nenhum dos jogos e isso vale para nossa vida comum. Se não, vira o caos. Se o Grêmio não entrar em campo, estará cumprindo a regra da CBF. Vamos ganhar uma medalha", afirmou, em entrevista à Rádio Guaíba, com acompanhamento do blog.  

O confronto está marcado para o dia 15 de setembro. Na primeira partida, o Fla venceu por 4 a 0, em Porto Alegre. 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos