Diretora é afastada após alunos encontrarem câmeras escondidas em banheiros de escola, em SP

Após alunos da Escola Estadual Oswaldo Cruz, em São Paulo, encontrarem câmeras escondidas nos banheiros da instituição, a Secretaria de Educação do estado decidiu afastar a diretora e iniciar uma investigação sobre o caso. A informação foi confirmada ao GLOBO pelo órgão nesta segunda-feira.

Justiça: Bruxa é condenada pela Justiça a pagar indenização por plágio, em São Paulo

Vídeo: Marinha apresenta lancha não tripulada que será usada para fiscalizar o litoral brasileiro

Em vídeos que circulam nas redes sociais é possível ver uma das câmeras escondidas, atrás de uma parede:

Segundo a Secretaria de Educação, os dispositivos já foram retirados. Ainda segundo o órgão, em nota enviada ao GLOBO, "a instalação de câmeras dentro de banheiros não faz parte das diretrizes da Pasta".

A câmera foi primeiro descoberta no banheiro masculino por um aluno do terceiro ano do Ensino Médio. Ele havia sido chamado para a sala da diretora, onde foi repreendido por fumar no banheiro. Fotos dele praticando o ato teriam sido fornecidas por um outro aluno, de acordo com a diretora. Segundo o estudante contou a reportagem do canal TV Record, no entanto, ele desconfiou da história, já que as fotos haviam sido tiradas de cima para baixo. Ao ir ao banheiro, ele encontrou o dispositivo.

Depois, uma segunda câmera foi encontrada no banheiro feminino.

De acordo com a Secretaria de Educação, um estudante foi suspenso por sete dias por questões disciplinares, no dia 23.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos