Diretora dos serviços secretos da Espanha é demitida após espionar políticos

A diretora dos serviços secretos espanhóis, Paz Esteban, foi demitida nesta terça-feira (10), anunciou o Executivo espanhol. Ela havia passado por um interrogatório depois da descoberta de que havia espionado os telefones do primeiro-ministro Pedro Sánchez e de vários independentistas catalães.

Com informações de Luis Méndez, correspondente da RFI em Madri.

O governo socialista espanhol finalmente decidiu agir após a revelação do escândalo de espionagem telefônica. Paz Esteban, diretora do Centro Nacional de Inteligência (CNI), foi afastada por sua responsabilidade no caso de espionagem por parte dos serviços secretos espanhóis sobre vários políticos pró-independência, incluindo o presidente do governo catalão, Pedro Aragonês.

Esteban foi a primeira mulher a liderar a CNI e seu afastamento ocorre após a realização de escutas telefônicas ilegais do premiê Pedro Sánchez e do ministro da Defesa espanhol. Um governo estrangeiro, que ainda não foi identificado, estaria envolvido no caso.

Tensão aumenta

A espionagem sobre políticos defensores da independência da Catalunha aumentou a tensão entre Madri e Barcelona, a ponto de os separatistas terem decidido congelar as negociações que mantinham com o governo central para encontrar uma solução para o conflito territorial.

Políticos catalães alertaram que o diálogo não se recuperaria até que o governo espanhol realizasse uma investigação profunda do caso de espionagem.


Leia mais

Leia também:
Israel teme consequências diplomáticas e instaura CPI sobre escândalo Pegasus
Caso Pegasus: Macron e rei do Marrocos estariam entre os alvos
Separatistas entram em acordo e retomam coalizão de governo na Catalunha

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos