Diretora é alvo de críticas após tocar hino da Venezuela para acolher imigrantes

Município de 25 mil habitantes em Santa Catarina recebe imigrantes da Venezuela. (Foto: Getty Creative)
Município de 25 mil habitantes em Santa Catarina recebe imigrantes da Venezuela. (Foto: Getty Creative)

A diretora de uma escola municipal, em Santa Catarina, passou a ser hostilizada após dar início a um projeto de acolhimento de imigrantes venezuelanos. O projeto consiste em tocar o hino da Venezuela uma vez por mês na escola, localizada em Capivari de Baixo, no sul do estado.

O colégio Santo André tem 230 estudantes, do pré ao 9º ano do ensino fundamental, sendo 34 deles venezuelanos. No bairro do colégio, que leva o mesmo nome, há uma grande concentração de refugiados, que moram inclusive em uma casa do projeto da Cáritas, organização humanitária da Igreja Católicas.

A execução do hino venezuelano, que teve início no dia 30 de maio, foi a resposta encontrada pela equipe pedagógica da escola para acolher e integrar esses estudantes. Mas a iniciativa foi bastante criticada nas redes sociais da professora e da escola.

Em entrevista ao "UOL", a diretora Cláudia da Rosa Nascimento Lopes disse que a maioria das críticas vieram de pessoas que não vivem na comunidade. "Não recebi ameaças contra mim e à escola, mas foram críticas pesadas. Falaram que iam denunciar ao Ministério Público, pedir minha exoneração”, conta.

A diretora disse que não irá, pelo menos por enquanto, tomar nenhuma medida. O setor jurídico da prefeitura disse que acompanha o caso e que se reuniu com Cláudia para orientá-la.

De acordo com a direção pedagógica, o projeto é cultural, educativo e humanitário e está amparado na lei.

“Não há nenhuma lei que impeça de nós cantarmos o hino deles. Tem, claro, algumas regras a serem seguidas: temos que cantar o nosso em seguida, tem que ter a nossa bandeira. Não pode trocar uma [bandeira] pela outra e nós não fizemos isso. Estou com a consciência tranquila” , defendeu a diretora.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos