Família é encontrada morta na França em possível caso de violência machista

Paris, 10 jul (EFE).- A polícia da França está investigando a morte de cinco integrantes de uma mesma família, entre eles uma criança de 2 anos, cujos corpos foram encontrados nesta terça-feira em uma residência no centro da cidade de Pau, no sudoeste do país, no que parece ser um caso de violência machista que, por sua vez, acabou derivando em um incêndio.

As primeiras pistas indicam que o marido teria sido o autor dos fatos e se suicidou logo em seguida.

De acordo com a imprensa francesa, os vizinhos ouviram uma briga na residência às 5h locais (0h em Brasília) e um deles telefonou para os bombeiros uma hora e meia depois, quando viu sangue correndo pela borda de uma janela e devido à fumaça que saía da porta principal do apartamento.

O fogo se propagou pelo apartamento da família no primeiro andar do edifício de quatro pisos e, apesar de não ter se alastrado para as outras unidades, obrigou os moradores a deixarem o recinto, e os mesmos foram abrigados provisoriamente em dependências municipais.

Ao chegarem ao local, os bombeiros se depararam com cinco corpos no apartamento: os do casal, o de seu filho de dois anos e os dos pais da mulher, confirmaram à Agência Efe fontes municipais de Pau.

A promotoria da cidade detalhou em comunicado que as duas vítimas de maior idade apresentavam ferimentos no crânio que poderiam ter sido causados por um "objeto contundente", mas não se pronunciou sobre os possíveis motivos do fato. O marido, de 32 anos, tinha cortes nos pulsos, e nem a criança, nem a mulher, de 36, tinham "sinais que possam explicar as causas das mortes".

Os veículos de imprensa franceses destacaram que a mulher foi encontrada amordaçada no banheiro, mas a promotoria destacou que somente a perícia poderá determinar se a morte dela e do filho são fruto "de agressões, de intoxicação ligada ao incêndio ou algum outro motivo".

O secretário de Segurança de Pau, Marc Cabane, afirmou ao jornal "La République des Pyrénées" que o incêndio "provavelmente" foi provocado pelo pai, "que se suicidou", e acrescentou que "havia muito sangue por todas as partes no apartamento".

Os bombeiros compareceram ao local com material para desbloquear a porta principal e levaram apenas dez minutos para apagar as chamas, que ainda consumiam um sofá.

O casal trabalhava e o homem, aparentemente, não tinha antecedentes na polícia, segundo a imprensa local, que também detalhou que todos os moradores foram interrogados pelas autoridades.

De acordo com os vizinhos entrevistados pela publicação francesa "Sud Ouest", as brigas do casal eram frequentes. Além disso, uma colega da esposa contou ela havia apresentado recentemente uma queixa de violência contra o marido. EFE