Diretores da PRF se reúnem com procuradores após suspeita de omissão

Ministério Público suspeita que houve omissão da PRF para desobstruir rodovias (Foto: ANDERSON COELHO/AFP via Getty Images)
Ministério Público suspeita que houve omissão da PRF para desobstruir rodovias (Foto: ANDERSON COELHO/AFP via Getty Images)

Na última quinta-feira (3), quatro diretores da Polícia Rodoviária Federal (PRF) se reuniram com procuradores que investigam se houve omissão das autoridades durantes os bloqueios de caminhoneiros golpistas em rodovias pelo país. Segundo informações do portal g1, o encontro aconteceu em Brasília.

Os bloqueios começaram no último domingo (30), quando o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) venceu Jair Bolsonaro (PL). Sem aceitar o resultado, manifestantes golpistas passaram a obstruir estradas.

Agora, procuradores querem saber se houve omissão da PRF, quando deveriam desbloquear as vias. Outro ponto que está sendo investigado é quem financiou esses grupos.

A própria PRF informou que está investigando servidores por incitação ao bloqueio de rodovias. Em vídeos divulgados nas redes sociais, um policial rodoviário federal admitiu que estava prevaricando e justificou que tentava resolver a situação “com bom senso”.

Segundo o portal g1, estiveram na reunião quatro membros da PRF – e o diretor-geral, Silvenei Vasques, não estava entre eles:

  • Marco Antônio Territo de Barros, diretor-executivo (substituto do diretor-geral)

  • Djairlon Moura, diretor de Operações

  • Luís Carlos Reischak Júnior, diretor de Inteligência

  • Wendel Benevides Matos, corregedor-geral e diretor de Controle Interno

Nove investigadores do Ministério Público Federal atuam na apuração.

Situação atual

Um novo boletim da Polícia Rodoviária Federal foi divulgado na manhã desta sexta-feira (4). Segundo os números da corporação, há 15 interdições em cinco estados brasileiros.