Dirigente do PSDB no Rio Grande do Sul contraria diretório e declara apoio a Doria nas prévias do PSDB

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

SÃO PAULO — O ex-presidente do diretório de Porto Alegre do PSDB Rafael Furtado decidiu apoiar a candidatura do governador de São Paulo, João Doria, nas prévias tucanas que vão indicar um candidato da sigla ao Planalto em 2022. Na reta final das prévias presidenciais tucanas, marcadas para o dia 21, os candidatos têm trabalhado para estimular defecções e obter apoio nos estados dos adversários da disputa.

Nesta quinta-feira (4), o prefeito de Vacaria (RS), Amadeu de Almeida Boeira, também manifestou voto ao governador paulista.

Na reta final das prévias presidenciais tucanas no próximo dia 21, os candidatos têm trabalhado para estimular defecções e obter apoio nos estados dos adversários.

No sábado, a campanha de Leite vai fazer um evento em São José dos Campos, onde o diretório municipal aderiu a campanha do gaúcho. O município é próximo de Pindamonhangaba, berço do ex-governador Geraldo Alckmin, que é desafeto de Doria e cuja base política tem trabalhado a favor do gaúcho.

Furtado e Amadeu se juntam à presidente nacional do PSDB Mulher, a ex-governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Cruscius, que também declarou apoio a Doria. Ela é aliada de Furtado, que já atuou também como coordenador da bancada do PSDB na Câmara Municipal de Porto Alegre.

Como não tem mandato, o voto de Furtado é computado no grupo de filados que, segundo o partido, deve reunir cerda de 40 mil pessoas. Os outros três grupos do colégio eleitoral tucano são formados por prefeitos e vice-prefeitos, cerca de mil pessoas; de vereadores e deputados estaduais; e, por fim, governadores, vices, comissão executiva, senadores e deputados federais.

Aliada de Doria, Yeda afirma que no Rio Grande do Sul há uma série de dissidências pró-Doria entre "tucanos raiz", jovens e mulheres.

— Ele (Leite) faz parte de um grupo que é distante do PSDB mais histórico como Furtado e eu. Ele (Leite) faz o caminho dele e eu continuo a fazer o meu, que é junto com o Doria — disse Yeda ao GLOBO. — O Brasil precisa desse caráter inovador, realizador, transparente e que respeita a vida e trouxe a vacina. Isso o faz um político diferenciado. O Brasil deve ao Doria — concluiu.

Na visão de Furtado, Doria tem melhores condições de unificar o partido em torno de uma candidatura a presidente.

— As realizações do governo Doria são mais sólidas que as do Leite, principalmente na economia, e isso serve de vitrine pra projetar o candidato nacionalmente — diz o ex-presidente do PSDB de Porto Alegre entre 2017 e 2019.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos