Polícia divulga possíveis disfarces de assassino de ator em SP

Uma foto de Cupertino com cabelo grande foi a base utilizada pela Perícia da Polícia Civil para montar os possíveis disfarces. (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
Uma foto de Cupertino com cabelo grande foi a base utilizada pela Perícia da Polícia Civil para montar os possíveis disfarces. (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

A Polícia Civil de São Paulo divulgou simulações de possíveis disfarces que podem estar sendo usados pelo comerciante Paulo Cupertino Matias, assassinou do ator Rafael Miguel e dos pais dele, no domingo (9), em São Paulo.

Leia também

Uma foto verdadeira do foragido, na qual Cupertino está de cabelo grande, foi a base utilizada por peritos do Laboratório de Arte Forense da Polícia Civil para apresentar as diferentes “faces” do comerciante. Há versões com boné, óculos escuros, com ou sem barba, e de cabelo grande, curto ou mesmo careca.

PISTAS

Nesta terça-feira (19), um amigo de Cupertino foi ouvido pela Polícia Civil. Ele foi apontado como sendo dono de um dos carros usados por ele na fuga. Em outro depoimento, foi ouvido Eduardo José Machado, que, segundo denúncias, esteve com o fugitivo horas depois do crime. Eduardo saiu da delegacia sem falar com os jornalistas.

Uma carta anônima com possíveis paradeiros de Cupertino foi encontrada um dia após o triplo assassinato, durante o velório das vítimas.

Segundo o documento, escrito à mão e ao qual a reportagem teve acesso, é informado que uma irmã de Matias possui imóveis no estado do Paraná, onde manteria criação de gado.

"A polícia sequer fez buscas na casa da mesma [irmã do acusado], que se encontra fechada desde o dia seguinte aos fatos [triplo homicídio]", diz trecho da carta.

A reportagem apurou que o documento foi entregue ao 98º DP (Jardim Miriam), que investiga o caso. Um policial afirmou, em condição de anonimato, que seis pessoas foram ouvidas no distrito nesta terça-feira (18), entre elas parentes de Matias. O teor dos depoimentos não foi informado.

O comerciante é acusado de matar o ator, com sete tiros de pistola, ao pai do jovem, com quatro, e a mãe de Miguel, com dois disparos.

Além do Paraná, a polícia investiga se o acusado também possa estar escondido nos estados do Espírito Santo, Goiás e Minas Gerais.

Rafael ficou famoso em um comercial, quando pedia para a mãe comprar brócolis no mercado. Também é conhecido por atuar na novela "Chiquititas".

RELEMBRE O CASO

O ator Rafael Henrique Miguel, 22 anos, que interpretou a personagem "Paçoca" na novela infantil Chiquititas, exibida pelo SBT, e seus pais foram mortos a tiros na tarde do domingo (9), no bairro Pedreira (zona sul da capital), quando iriam visitar a namorada do artista.

Segundo o boletim registrado pela polícia, o ator, acompanhado de seus pais, João Alcisio Miguel, de 52 anos, e Miriam Selma Miguel, 50, foram até a casa de sua namorada para conversar com o pai dela sobre o namoro, por volta das 14h.

As vítimas foram recepcionadas pela mãe e pela namorada de Miguel. Quando a família era recepcionada, o pai da garota, um comerciante de 48 anos, teria chegado com uma arma e, em seguida, atirado contra as três vítimas, que aguardavam no portão da casa do atirador.

As vítimas morreram no local. Após os disparos, o suspeito fugiu, segundo a polícia. A motivação do crime ainda é investigada.

A SSP (Secretaria da Segurança Pública), gestão João Doria (PSDB), disse que o caso é investigado pelo 98º DP (Jardim Miriam). "As equipes estão em diligência para localizar e prender o autor do crime", diz trecho de nota.

Da FolhaPress