Disney reabre na China: entradas se esgotam apesar de novos casos de coronavírus

Extra,

XANGAI — A Disney reabriu hoje seu parque na China após quatro meses fechado. As entradas se esgotadas em poucos minutos após o período de reservas, na última sexta-feira. O parque está implementando medidas de segurança, como limitar o número de visitantes a um terço da capacidade normal de 80 mil pessoas. Com novos casos de coronavírus no país, a China não registra mortes desde 14 de abril, de acordo com o órgão de saúde chinês.

O Shanghai Disneyland foi o primeiro parque da Walt Disney a ser fechado em 25 de janeiro devido à propagação do vírus, que teve orgem em Wuhan, a 840 quilômetros a oeste da capital comercial do país. O movimento dos visitantes são um sinal de que consumidores chineses estão dispostos a gastar em meio à recuperação do país da pandemia de coronavírus.

A Disney está lutando para recuperar os lucros em seu parque temático de US$ 5,5 bilhões e negócios de filmes derrotados pela crise do vírus, com impacto no lucro de US$ 1,4 bilhão no trimestre passado e levou a empresa a fechar resorts em todo o mundo. De outro lado, o governo da chinês está enfrentando os desafios de reabrir de forma incremental o país.

Parques, fábricas e restaurantes em cidades e países ao redor do mundo estão reabrindo sob regras para manter clientes e trabalhadores separados, em meio à ameaça de segundas ondas do vírus.

Embora a Disney mantenha seus parques nos EUA, Hong Kong e Paris fechados, a empresa disse na quinta-feira que vai abrir um número limitado de lojas e restaurantes no shopping Disney Springs, nos arredores de seus resorts em Orlando, Flórida, em 20 de maio.

A divisão chinesa de parques temáticos da Disney contribuiu com cerca de 46% da receita operacional nos 12 meses encerrados em setembro de 2019, mais do que o dobro do lucro do negócio de entretenimento, segundo dados compilados pela Bloomberg. As entradas durante a fase inicial de reabertura custam 399 yuans (US$ 56) de segunda a sexta e 499 yuans nos fins de semana.

As medidas de segurança para a reabertura do parque incluem “distanciamento social em filas, restaurantes, veículos de passeio e outras instalações em todo o parque e a implementação de maior frequência de higienização e desinfecção”, disse a empresa no site. Algumas áreas e exibições permanecerão fechadas.

Para chegar aos portões da Shanghai Disneyland, os hóspedes precisavam passar por verificações de temperatura e mostrar que seu status de saúde foi confirmado usando um aplicativo de smartphone para rastrear pessoas infectadas. As máscaras eram obrigatórias, apesar do clima abafado de 23 graus Celsius (73 graus Fahrenheit).

Nas filas, os visitantes precisavam ficar separados por dois metros (seis pés) em linhas, usar máscaras e subir a bordo de passeios meio vazios para fornecer o espaço necessário para impedir a possível propagação do coronavírus.  

"Os funcionários estão se esforçando para manter as pessoas afastadas umas das outras", disse Zhu Hui, uma dona de casa de 33 anos no parque. "Você vê desinfetantes para as mãos em todos os lugares e não muitas pessoas".

bilhões tiveram esperas relativamente curtas para passeios. A atração Seven Dwarfs Mine Train, por exemplo, tinha no máximo cinco minutos na fila no meio da manhã, de acordo com um aplicativo que rastreia as esperas no parque. A fila mais longa para um passeio na época era de 20 minutos, de acordo com o aplicativo. À tarde, algumas linhas começaram a esticar para 30 minutos, no máximo. Em um dia típico de primavera, em condições normais, os visitantes podem esperar mais de uma hora pelas atrações mais populares.

Yao Yao, uma professora de jardim de infância de 37 anos, chegou às 8h30 e estava entre as pessoas que aguardavam a entrada.

"Simplesmente passear no parque me fará esquecer qualquer coisa infeliz", disse Yao, que tem um passe anual.

A loja Disney World, que vende brinquedos e camisetas, exigia o uso de desinfetante para as mãos para entrar e tinha poucos compradores. Os estandes de pipoca e asa de frango estavam abertos, embora menos do que em um dia normal.

Shows de teatro ao vivo, áreas onde as crianças entrariam em contato próximo, como locais de jogos na água e desfiles foram suspensas durante a reabertura inicial para evitar o aumento dos riscos de infecção.

"O teste real virá à medida que esses limites de capacidade forem diminuídos e o calendário avançar para o que é tipicamente o pico crítico da temporada de verão", disse Ron Merriman, diretor-gerente dos consultores de parques temáticos MR ProFun China. "Mas estou muito otimista com as perspectivas do parque para passar no teste".

Envie denúncias, informações, vídeos e imagens para o WhatsApp do Extra (21 99644 1263)