Disparos são ouvidos na capital de Burkina Faso um dia após golpe

Tiroteio pesado ouvido na capital de Burkina Faso

UAGADUGU (Reuters) - Tiros foram disparados na capital de Burkina Faso neste sábado e forças de segurança fortemente armadas atravessaram o centro em um comboio, um dia depois que o presidente Paul-Henri Damiba foi deposto no segundo golpe que o país da África Ocidental viu este ano.

Não ficou imediatamente claro o que estava acontecendo e não houve nenhuma atualização do novo líder, o capitão Ibrahim Traore, que foi alçado pelo mesmo grupo de oficiais do exército que ajudou Damiba a tomar o poder em um golpe de 24 de janeiro.

Na sexta-feira, Traore apareceu na televisão estatal, depois de um dia marcado por tiros perto de um acampamento militar, uma explosão perto do palácio presidencial e a televisão estatal saindo do ar. Acompanhado de soldados, ele declarou o governo dissolvido e as fronteiras foram fechadas.

O paradeiro de Damiba permanece desconhecido.

A calma aparente voltou a Ouagadougou no início do sábado, mas o som de tiros por volta do meio-dia e o aparecimento do comboio das forças especiais levaram lojas a fecharem e algumas pessoas a correrem para se proteger.

"A situação continua tensa em Ouagadougou. Recomenda-se limitar seus movimentos", disse a embaixada francesa em comunicado.

(Por Thiam Ndiaga, texto de Alessandra Prentice)