Dispensado na véspera da invasão do Planalto, Batalhão da Guarda Presidencial tem, na prática, duplo comando

No epicentro das suspeitas de leniência contra o Gabinete de Segurança Institucional da Presidência (GSI) na invasão e depredação do Palácio do Planalto neste domingo, o Batalhão da Guarda Presidencial (BGP) tem, na prática, um duplo comando. Ele é uma unidade do Exército, vinculado ao Ministério da Defesa, mas é acionado pelo GSI.

Na véspera da invasão e ataque ao Planalto, o GSI dispensou reforço no Batalhão da Guarda Presidencial. A determinação, feita por escrito, ocorreu cerca de 20 horas antes dos atos terroristas na sede da Presidência da República. Com a medida, o Gabinete de Segurança Institucional prescindiu de um pelotão composto por 36 militares que já estava no local desde a sexta-feira, dia 7. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Batalhão da Guarda Presidencial é vinculado ao Comando Militar do Planalto (CMP) e tem a atribuição de cuidar da segurança do Planalto. O pelotão que havia sido dispensado retornou somente na tarde de domingo, de acordo com o Estadão, após o CMP ter entrado em contato com o GSI, por iniciativa própria, e demandado a volta do reforço. Segundo o jornal, às 15h o general Geraldo Henrique Dutra Menezes, chefe do CMP, enviou uma companhia com 133 homens e equipamento de choque para o Planalto.

O BGP e tem origem no Batalhão do Imperador, criado por D. Pedro I em 1823 para consolidar a independência do Brasil e conter dissidentes em diversos estados da federação. Entre as missões do batalhão está executar a guarda e o cerimonial da Presidência da República, de Chefes de Estado e do corpo diplomático; ser empregado em Operações de Garantia da Lei e da Ordem; representar o Exército e o país em solenidades e eventos.

Em mensagem na página do batalhão na internet, o comandante da unidade, coronel Paulo Jorge Fernandes da Hora, afirma que “uma das mais nobres missões” da organização militar é “guardar as principais instalações do Governo Federal e do Comando do Exército, na capital da República”.

O Batalhão da Guarda Presidencial tem como subunidades cinco companhias de infantaria, uma companhia de cerimonial e uma banda de música.