Disputa pelo Senado está empatada; votações poderiam ser decididas por vice-presidente

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A disputa pelo Senado dos EUA está deixando a Casa dividida. Os americanos elegem nesta eleição 35 de seus 100 senadores. Considerando as vagas que não serão trocadas e os novos eleitos, neste momento os democratas têm 47 cadeiras, mesmo número que os republicanos. Há ainda outros 6 lugares em disputa. Um Senado dividido pode polarizar a votação de projetos de lei tanto em uma administração Trump, caso o republicano seja reeleito presidente, quanto em um eventual governo Biden –o democrata está à frente neste momento. Se a votação de um projeto de lei termina em empate, quem dá o voto de minerva é o vice-presidente dos EUA. Pela legislação americana, o vice-presidente é também o presidente do Senado e pode votar apenas em situação de empate. Isso aconteceu, por exemplo, em 2017, quando a Casa aprovou o fim do Obamacare com o voto do vice-presidente Mike Pence. O vice também precisou desempatar uma votação em 2008, quando o republicano Dick Cheney (vice de George W. Bush) deu seu voto em um projeto de lei sobre impostos. A composição final do Senado, porém, pode demorar a sair. isso porque a legislação da Georgia permite segundo turno caso nenhum candidato obtenha mais de 50% dos votos. Por enquanto o republicano David Perdue lidera, com 50,8% dos votos, mas a apuração ainda não foi encerrada. Se houver, o segundo turno entre ele e o democrata Jon Ossoff deverá ocorrer em janeiro, após o novo Senado tomar posse.