Disputa por vaga do TSE terá presidente da Comissão de Ética da Presidência e primeira mulher negra

BRASÍLIA — A lista tríplice para a vaga de ministro substituto do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) terá o nome dos advogados André Ramos Tavares, Fabrício Medeiros e Vera Araújo – primeira mulher negra a fazer parte dos indicados. A escolha é importante porque o escolhido pode vir a participar de julgamentos sobre propaganda eleitoral durante as eleições deste ano.

Quatro nomes foram definidos pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para disputarem a lista tríplice a partir da qual sairá o próximo ministro substituto da Corte eleitoral. São dois homens e duas mulheres: André Ramos Tavares, Fabrício Medeiros, Rogéria Dotti e Vera Araújo – primeira mulher negra a fazer parte dos indicados.

A lista será votada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que definirá a ordem dos candidatos, e depois irá para o presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), a quem cabe a palavra final sobre o escolhido. A praxe é que o mais votado seja escolhido. A data para a votação da lista pelo STF, contudo, ainda não foi definida.

Segundo interlocutores do TSE, a ideia de colocar quatro nomes para apreciação do STF foi do presidente da Corte, ministro Edson Fachin, como forma de dar paridade entre homens e mulheres na disputa. O favorito para ocupar a vaga, porém, é Tavares, que preside a Comissão de Ética da Presidência da República desde 2020 e teria a preferência de Bolsonaro.

A vaga de ministro substituto ficou aberta com a saída de Carlos Mário Velloso Filho, em março. Na época, ele alegou motivos pessoais para a saída. Velloso era um dos ministros indicados para julgar os casos de propaganda eleitoral durante as eleições.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos