Disque-Denúncia oferece recompensa de R$ 1 mil por informações sobre ladra de bancos que deixou a cadeia com alvará falso

O Globo
·1 minuto de leitura

O Portal dos Procurados lançou, nesta sexta-feira, um cartaz em que pede informações que possam levar à localização de Gilmara Monique de Oliveira Amorim, conhecida como Mara ou Simone, de 40 anos. Considerada foragida pela Justiça, ela deixou a cadeia, onde cumpria pena por sequestro e assaltos a banco, utilizando um alvará de soltura falso.

Presa em 2008, Gilmara foi condenada a 18 anos de reclusão e cumpria regime semiaberto no Instituto Penal Oscar Stevenson, em Benfica, na Zona Norte do Rio, quando saiu para visitar a família em novembro de 2014 e não voltou. Ela só voltaria a ser presa em maio de 2020, mas deixou a penitenciária seis meses depois graças à documentação fraudulenta.

Gilmara fez parte de uma quadrilha acusada de planejar e executar mais de dez assaltos a banco no Rio. Em 2008, Gilmara participou do sequestro do gerente de uma agência da Caixa Econômica do Aeroporto Tom Jobim, no Galeão. O bancário, a mulher dele e a filha foram mantidos em cativeiro por um dia.

A investigação dos alvarás falso começou depois que um desembargador desconfiou da forma que foram liberados o traficante de armas internacional João Felipe Cordeiro Barbieri, no dia 18 de novembro, e seu braço-direito João Victor Silva Roza, o Negão ou Toro, no dia 14 de outubro.

O Disque-Denúncia recebe informações por diversos canais, como os telefones (21) 2253 1177 e 0300-253-1177 ou o WhatsApp, no número (21) 98849-6099. A recompensa é de R$ 1 mil, e o anonimato é garantido.