Disque Denúncia pede informações sobre envolvidos na morte de agente da PRF na Transolímpica

O Disque Denúncias pede informações que levem aos envolvidos na morte do agente da Polícia Rodoviária Federal (PRF) Bruno Vanzan Nunes, de 41 anos, na tarde de quinta-feira, dia 27. Com a morte dele, chegam a 45 os casos de morte envolvendo agentes de segurança no Rio em 2022.

Motorista de aplicativo: Homem é morto em favela do Rio; polícia investiga se vítima entrou por engano no local

Prática ilegal: Em dez anos, polícia registra quase mil casos de falsos médicos, dentistas ou farmacêuticos

Bruno foi morto durante uma tentativa de assalto na Transolímpica. De acordo com a Polícia Militar, ele teria reagido e caído de um viaduto da via expressa, na altura da Vila Militar, na Zona Oeste da capital fluminense.

Segundo a PRF, Bruno Nunes trabalhava na corporação há 18 anos e estava lotado na 7ª delegacia, em Resende, no Sul do estado. Ele deixa esposa e dois filhos.

A ocorrência foi encaminhada para a Delegacia de Homicídios da Capital (DHC). Segundo a Polícia Civil, há informações de que os suspeitos teriam fugido para a Vila Kennedy, também na Zona Oeste.