Dissidente Cuesta Morúa é preso em Cuba

·1 minuto de leitura
(Arquivo) O opositor cubano Manuel Cuesta Morúa durante uma entrevista coletiva em 13 de junho de 2018, em Havana (AFP/ADALBERTO ROQUE)

O opositor cubano Manuel Cuesta Morúa, de 58 anos, foi preso nesta quarta-feira (29) em frente à sua casa em Havana, confirmaram fontes dissidentes.

"De manhã, a esposa (de Cuesta, Nairobi Scheri) nos ligou e disse que ele estava de saída e que desde então está detido", disse a ativista Marthadela Tamayo à AFP.

Segundo Tamayo, diretora do Conselho para a Transição Democrática, do qual Cuesta é vice-presidente, também ocorreram outras breves detenções nos últimos dias de opositores Scheri, além de José Antonio Madrazo e Osvaldo Navarro.

“Foi tudo por causa da marcha do dia 20 (de novembro) e a assinatura deles no texto”, opinou Tamayo.

Na semana passada, o dramaturgo Yunior García, líder do grupo Archipiélago no Facebook, e Cuesta Morúa publicaram nas redes sociais uma carta dirigida ao governo provincial de Havana solicitando permissão para realizar uma manifestação antigoverno de 5.000 participantes em 20 de novembro.

Vários dissidentes aderiram à iniciativa com suas assinaturas e textos semelhantes foram entregues aos governos das províncias de Holguín, Santa Clara, Cienfuegos e Guantánamo.

Yunior García e Cuesta Morúa foram presos em 11 de julho, quando ocorreram protestos massivos sem precedentes contra o governo em mais de 50 cidades cubanas, deixando um morto, dezenas de feridos e centenas de detidos.

Nas últimas semanas, dois outros líderes dissidentes foram presos: Guillermo Fariñas, vencedor do prêmio Sakharov do Parlamento Europeu, e Berta Soler, líder do movimento Damas de Branco. Ambos foram liberados após algumas horas.

cb/ka/dga/ic/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos